Arca de Noé

Páginas para editores sem sessão iniciada saber mais

A Arca de Noé (em hebraico: תיבת נח; Hebraico bíblico: Tevat Noaḥ) é o navio na narrativa do dilúvio de Gênesis (Gênesis 6: a Gênesis 9:) pelo qual Deus poupou Noé, sua família e todos os animais do dilúvio.[2][3] Segundo o Gênesis, Deus deu a Noé instruções para construir a arca. Sete dias antes do dilúvio, Deus disse para Noé entrar na arca com sua família e os animais. A história passa a descrever a arca navegando durante o dilúvio e o posterior recuo das águas, até seu encalhe no Monte Ararat.

A história se repete, com variações, no Alcorão, onde a arca aparece como "Safina Nuh" (em árabe: سفينة نوح "Barco de Noé"). O dilúvio da narrativa de Gênesis é semelhante a inúmeros outros mitos de inundação de diversas culturas. O escrito mais antigo conhecido é o mito de inundação sumério encontrado no Épico de Ziusudra.[4]

As buscas pela Arca de Noé têm sido feitas desde pelo menos a época de Eusébio (c. 275-339 d.C.) até o dias atuais. Não há nenhuma evidência científica para um dilúvio global, e apesar das muitas expedições, não há evidência de que a arca tenha sido encontrada.[5][6][7][8][9][10] Considerando os desafios práticos envolvidos na construção de uma arca grande o suficiente para abrigar todos os animais atuais, e também as plantas, teria sido impossível tal construção.[11]


Arca de Noé. Óleo sobre tela, Edward Hicks, 1846.
Reprodução em tamanho real da Arca de Noé, construída de acordo com as dimensões dadas na Bíblia, por fundamentalistas cristãos.[1] Ark Encounter, Kentucky, Estados Unidos, julho de 2016.
O Dilúvio. Afresco por Michelangelo Buonarroti, na Capela Sistina, 1508-12.
Paisagem com a Ação de Graças de Noé. Óleo sobre tela, Joseph Anton Koch, cerca de 1803.
Mosteiro de Khor Virap, Armênia, à sombra do Monte Ararate, onde a Arca de Noé supostamente encalhou após o Dilúvio.
Estátua em homenagem a Noé, em Veneza.
Imagem da Arca de Noé durante o dilúvio.