Beyoncé

Páginas para editores sem sessão iniciada saber mais

Beyoncé Giselle Knowles-Carter[2] (Houston, 4 de setembro de 1981),[3] conhecida também apenas como Beyoncé, é uma cantora, compositora, atriz, modelo, dançarina, empresária, produtora, diretora e roteirista norte-americana.[4] Nascida e criada em Houston, no Texas,[5] Beyoncé se tornou conhecida no ano de 1997, como uma das integrantes do grupo feminino de R&B Destiny's Child, que já vendeu mais de 178 milhões de discos mundialmente, 118 milhões em carreira solo e 60 milhões com o grupo Destinys Child, de acordo com a Columbia Records em 2015.[6]

Em 2003, ela lançou seu álbum de estreia em carreira solo, Dangerously in Love. O álbum teve um bom desempenho comercial e os singles "Crazy in Love" e "Baby Boy" alcançaram o primeiro lugar na Billboard Hot 100. No ano seguinte, foi premiada com cinco Grammy Awards.[7]

Em 2006, lançou seu segundo álbum de estúdio, B'Day, dando continuidade a sua carreira solo depois da separação do grupo Destiny's Child em 2005. B'Day se tornou seu segundo disco consecutivo em primeiro lugar na Billboard 200.[8] O single "Irreplaceable" deste trabalho foi o que mais se destacou por permanecer por dez semanas consecutivas em primeiro lugar na Billboard Hot 100.[9]

Seu terceiro álbum, I Am... Sasha Fierce, foi lançado em novembro de 2008. Também teve um desempenho comercial muito favorável, sendo certificado pela ABPD como disco de diamante.[10] A canção "Single Ladies (Put a Ring on It)" foi uma das canções do seu terceiro álbum que mais se destacou, se tornando o seu quinto single em primeiro lugar na Billboard Hot 100.[11] Nos Grammy Awards de 2010, Beyoncé se tornou a artista feminina que mais foi premiada em apenas uma edição da premiação, por vencer seis das dez categorias em que estava concorrendo.[12] Atualmente Beyoncé já ganhou ao longo de sua carreira 28 Grammys (25 em carreira solo e 3 com o grupo Destiny's Child) e 79 indicações. Atualmente ela é a artista feminina que mais ganhou esse prêmio.[13]

Sua carreira como atriz teve início em 2001, quando interpretou Carmen Brown no filme Carmen: A Hip Hopera. Beyoncé também atuou em outros filmes, como Austin Powers in Goldmember, Resistindo às Tentações, Dreamgirls e outros. Sua atuação no filme Dreamgirls lhe rendeu duas indicações ao Globo de Ouro nas categorias Melhor atriz em um filme, comédia ou musical e Melhor canção original para a música "Listen".[14] Junto com a sua mãe, Tina Knowles, ela lançou em 2004 uma linha de roupas chamada House of Deréon. A maior inspiração foi sua avó, chamada Agnèz Deréon.[15] Beyoncé já trabalhou para marcas como Pepsi, Tommy Hilfiger, Armani e L'Oréal. Em 2009, a revista Forbes elegeu Beyoncé como a cantora mais rica do mundo com menos de 30 anos de idade, por ter arrecadado mais de 87 milhões de dólares no período de 2008 a 2009.[16][17]

Beyoncé é considerada uma das melhores cantoras de sua geração[18] e possui sete singles que alcançaram o primeiro lugar na Billboard Hot 100.[19] Ao longo de sua carreira solo, ela já vendeu 178 milhões de discos em todo o mundo, fazendo dela uma das artistas recordistas em vendas globais.[20][21][22] Beyoncé acumula exatos 28 Grammys.[23][24][25] A revista Billboard colocou-a em quarto lugar na lista dos melhores artistas da década de 2000, aparece também no nono lugar, com o grupo Destiny's Child.[26] Em fevereiro de 2010, a RIAA listou Beyoncé como a artista que mais recebeu certificações na década.[27] No mesmo ano, o VH1 colocou a cantora no número 56 em sua lista dos 100 Maiores Artistas de Todos os Tempos.[28] Em 2011, durante a premiação do Billboard Music Awards, Beyoncé recebeu o prêmio de Billboard Millennium Award.[29] No mesmo ano, a Forbes listou as mulheres afro-americanas mais poderosas nos Estados Unidos e colocou Beyoncé em primeiro de sua lista.[30] E, em 2012, o VH1 colocou Beyoncé no número 3 em sua lista das 100 Grandes Mulheres na Música ficando atrás apenas de Madonna e Mariah Carey.[31]

Beyoncé nasceu em Houston, no Texas. Seu pai é Mathew Knowles, um executivo musical e empresário, sua mãe é Tina Knowles, uma figurinista e estilista de cabelo. Seu pai é um afro-americano e sua mãe é descendente de crioulos da Luisiana.[32] Beyoncé foi batizada com o nome de solteira de sua mãe, como uma forma de homenageá-la.[33] Beyoncé tem uma irmã chamada Solange, que também é cantora e atriz.

Beyoncé foi educada na escola St. Mary's Elementary School, localizada no Texas, onde ela se matriculou em aulas de dança, incluindo o balé e jazz. Foi o seu professor de dança quem descobriu a vocação musical da garota.[34] Seu interesse musical aconteceu aos 7 anos de idade, quando ela participou e venceu o seu primeiro show de talentos, cantando a música "Imagine", de John Lennon.[35] A jovem cantora foi ganhando notoriedade, tanto que chegou a ser citada no jornal Houston Chronicle, como candidata da região para o prêmio de artes The Sammy.[36]

Em 1990, ela foi matriculada na escola de música Parker Elementary School, onde ela cantava com o coral da escola.[36] Também estudou na escola High School for the Performing and Visual Arts e depois passou a estudar na escola Alief Elsik High School, ambas em Houston.[37][38] Beyoncé foi solista no coro da igreja St. John's United Methodist Church.[39] Com nove anos de idade ela conheceu LaTavia, em uma audição para um grupo feminino.[40] Mais tarde, as jovens cantoras se juntaram e formaram o grupo feminino Girl's Tyme, que era formado por sete garotas, entre elas Nina, Nicki, Ashley, Kelly, LeToya e LaTavia.[39]

O produtor de R&B Arne Frager, depois de ver o desempenho das jovens cantoras, as convidou para gravar em seu estúdio o The Plant Recording Studios, no norte da Califórnia.[39] O grupo cantou pela primeira vez no Star Search, um respeitado show de talentos da televisão americana, mas a apresentação acabou se tornando o primeiro fracasso de sua carreira.[39]

Para gerenciar o grupo, seu pai, que na época era um vendedor de equipamentos médicos, deixou o seu emprego em 1995.[41] Depois que seu pai saiu de seu emprego, o rendimento financeiro de sua família diminuiu, forçando seus pais a viverem em apartamentos separados.[33] Em 1995, com o fim do grupo Girl's Tyme, o Destiny's Child assina contrato com a gravadora Elektra Records, mas acaba saindo da gravadora antes de lançar um álbum de estreia.[33] Em 1996, o grupo assinou contrato com a gravadora Columbia Records e, um ano mais tarde, lança a sua primeira música de trabalho, "No, No, No", que alcançou a terceira posição na Billboard Hot 100.[42]

Em uma entrevista para a revista Instinct em 2009, Beyoncé falou sobre seu relacionamento com seu tio homossexual e afirmou que a sua forte educação religiosa não afetou a forma como ela vê os homens e mulheres que são gays, apesar da opinião da igreja sobre os homossexuais.[43] Durante a entrevista ela disse:

Durante uma entrevista Beyoncé afirmou que por ser famosa ficou com medo de fazer novos amigos e de não encontrar ninguém que a amasse.[45]

Sua depressão foi curada com a ajuda de sua mãe que sempre lhe dizia: "por que você acha que nenhuma pessoa vai te amar? você esqueceu que você é tão linda, inteligente e doce?".[45]

Beyoncé admitiu em dezembro de 2006 que, durante as disputas judiciais envolvendo o Destiny's Child em 2000,[46] sofreu de depressão por causa das brigas entre LeToya Luckett e LaTavia Roberson contra Mathew Knowles. Ela também afirmou que foi publicamente atacada pela mídia, por críticos e blogs, o que agravou a situação.[47] Nesse mesmo período, seu namoro de sete anos havia acabado. O namoro começou quando ela tinha 12 anos e durou até os seus 19 anos.[45]

A depressão foi tão grave que durou dois anos. Ela se mantinha em seu quarto durante dias e se recusava a comer qualquer coisa.[45] Beyoncé disse que se esforçou para não falar sobre a sua depressão, pois o Destiny's Child tinha acabado de ganhar seu primeiro Grammy Award e ela temia que ninguém a levasse a sério.[48]

O grupo Girl's Tyme mudou seu nome para Destiny's Child em 1996, com base em uma passagem no Livro de Isaías.[40] Após alguns anos na estrada se apresentando em eventos locais, o grupo assinou um contrato com a Columbia Records em 1997. Um ano depois o grupo gravou sua primeira música na gravadora, "Killing Time", para a trilha sonora do filme Men in Black.[40] Antes de seu primeiro álbum ser lançado, o grupo abriu alguns shows para o TLC.[33] Em 1998, o grupo lançou seu álbum de estreia auto-intitulado Destiny's Child. O álbum teve um desempenho comercial favorável, vendendo nos Estados Unidos mais de um milhão de cópias.[49] Nesse mesmo ano o grupo foi premiado com três Soul Train Lady of Soul Awards.[40] O segundo álbum do grupo, The Writing's on the Wall, foi lançado em 1999 e teve dois hits em primeiro lugar nos Estados Unidos: "Bills, Bills, Bills" e "Say My Name".[33] No Grammy Awards de 2001, a música "Say My Name" venceu duas categorias da premiação.[40]

Em 2000, Beyoncé anunciou no programa TRL que LaTavia e LeToya não faziam mais parte do grupo Destiny's Child, o videoclipe da música "Say My Name" confirmou a saída das duas integrantes. O clipe mostra as duas novas integrantes Michelle Williams e Farrah Franklin.[35] A saída de LaTavia e LeToya do grupo gerou um processo judicial das duas contra Mathew Knowles.[40] Elas alegaram ter descoberto sua demissão somente depois de ver o videoclipe de "Say My Name". O processo foi arquivado e resolvido fora dos tribunais.[35] Cinco meses depois de entrar no grupo Farrah foi demitida, Beyoncé explicou a sua demissão dizendo:

Depois da saída de Farrah do grupo, o Destiny's Child gravou a música "Independent Women Part I" para a trilha sonora do filme Charlie's Angels. A música permaneceu em primeiro lugar na Billboard Hot 100 por onze semanas consecutivas.[35] Em 2001, o grupo lançou seu terceiro álbum de estúdio, Survivor, afirmando que as músicas desse álbum são destinadas a elas.[40] O álbum estreou em primeiro lugar na Billboard 200 com 663 mil cópias vendidas.[50] Mundialmente o álbum vendeu mais de 10 milhões de cópias e nos Estados Unidos vendeu mais de 4 milhões de cópias.[51]

A música "Bootylicious" foi a única do álbum Survivor a ficar em primeiro lugar na Billboard Hot 100.[52] Em outubro de 2001, o grupo lançou seu primeiro álbum de músicas natalinas, 8 Days of Christmas.[53] Em 2002, o grupo foi indicado a duas categorias do Grammy Awards, vencendo apenas a categoria Melhor Performance R&B por Duo ou Grupo com Vocal pela música "Survivor".[54] Em maio de 2002, foi lançado o álbum This Is the Remix, o segundo de remixes do grupo.[55] Logo em seguida o Destiny's Child teve uma pausa para dar início aos projetos individuais dos integrantes do grupo.[40]

Em 1999 Beyoncé fez o seu primeiro trabalho solo gravando um dueto com o Marc Nelson na música "After All Is Said and Done" para a trilha sonora do filme The Best Man.[56] Em 2000 fez uma parceira com a rapper Amil na música "I Got That".[57] Nesse mesmo ano ela assinou um contrato como cantora solo com a gravadora Columbia Records. O contrato relata três álbuns e um adiantamento de 1,5 milhões de dólares.[58]

No início de 2001, enquanto o Destiny's Child estava completando o álbum Survivor, ela atuou em um filme feito pela MTV, Carmen: A Hip Hopera, atuando com o ator Mekhi Phifer. Situado na Filadélfia, o filme é uma interpretação moderna da ópera Carmen do século XIX pelo compositor francês Georges Bizet.[59]

Em 2002, Beyoncé co-estrelou o filme, Austin Powers in Goldmember, interpretando Foxxy Cleopatra e atuando com o ator Mike Myers.[60] A música "Work It Out" foi gravada para a trilha sonora do filme e lançada como o seu primeiro single em carreira solo.[61] Ainda nesse ano ela foi apresentada a Jay-Z e gravou com ele a música "'03 Bonnie and Clyde".[62] No ano seguinte atuou com o ator Cuba Gooding, Jr. na comédia romântica, The Fighting Temptations, gravando várias músicas para a trilha sonora do filme, incluindo as músicas "Fighting Temptation" (com Missy Elliott, MC Lyte e Free) e uma versão cover de "Fever".[63]

Ainda em 2003, ela gravou uma nova versão da música "In da Club" do rapper 50 Cent, intitulada "Sexy Lil' Thug". A música foi lançada em março de 2003.[62] Ela regravou com Luther Vandross a música "The Closer I Get to You", que foi originalmente gravada por Roberta Flack e Donny Hathaway em 1977.[64] Essa versão foi incluída no álbum Dangerously in Love de Beyoncé e no décimo terceiro álbum de Luther Vandross, Dance with My Father. Os dois álbuns foram lançados em 2003.[65]

Depois de Kelly Rowland e Michelle Williams, ela lançou o seu álbum de estreia, Dangerously in Love, em junho de 2003.[66] O álbum estreou em primeiro lugar na Billboard 200, vendendo 317 mil cópias na semana de seu lançamento.[50] A RIAA certificou o álbum com quatro discos de platina.[67] Nos Estados Unidos o álbum vendeu mais de 4,7 milhões de cópias.[68]

O álbum teve dois singles em primeiro lugar na Billboard Hot 100. O primeiro single do álbum, "Crazy in Love", que contou com a participação do rapper Jay-Z, ficou oito semanas consecutivas em primeiro lugar.[69] E o segundo single do álbum, "Baby Boy", teve participação do cantor Sean Paul, que permaneceu por nove semanas consecutivas em primeiro lugar.[70][71]

Em 2004, Beyoncé foi premiada com cinco Grammy Awards nas categorias Melhor Performance Vocal de Cantora de R&B por "Dangerously in Love 2", Melhor Canção de R&B por "Crazy in Love", Melhor Álbum de R&B Contemporâneo por Dangerously in Love, Melhor Performance Vocal de Grupo ou Dueto por "The Closer I Get to You" e Melhor Colaboração de Canção/Rap por "Crazy in Love".[72] Além de Beyoncé as únicas cantoras que ganharam cinco Grammys em apenas uma edição da premiação foram: Lauryn Hill em 1999, Alicia Keys em 2002, Norah Jones em 2003, Amy Winehouse em 2008 e Adele em 2012.[73][74][75]

Em 2004, Beyoncé tinha um projeto de lançar seu segundo álbum de estúdio utilizando as músicas que não foram usadas em Dangerously in Love, esse projeto foi cancelado por falta de tempo devido às gravações das músicas do grupo Destiny's Child.[76] Depois de uma pausa de dois anos o grupo lançou o álbum Destiny Fulfilled em novembro de 2004, que ficou na segunda posição na Billboard 200 e teve dois singles no Top 10 da Billboard Hot 100.

Para divulgar melhor o quarto álbum o grupo iniciou em abril de 2005 a turnê mundial Destiny Fulfilled ... And Lovin' It que durou até setembro de 2005. Foi durante um show dessa turnê, em Barcelona, que o grupo anunciou que iria se separar.[40] Em outubro de 2005 o grupo lançou um álbum de compilação intitulado #1's. O álbum inclui os singles que tiveram um desempenho favorável e três músicas inéditas: "Feel the Same Way I Do", "Stand Up for Love" e a trilha sonora do filme A Pantera Cor-de-Rosa a música "Check on It".

As Destiny's Child foram homenageadas com uma estrela do grupo na Calçada da Fama em março de 2006.[77] Ainda nesse mesmo ano o grupo foi reconhecido como um dos que mais venderam discos nos últimos tempos.[78]

Dando continuidade a sua carreira cinematográfica, Beyoncé co-estrelou o filme A Pantera Cor-de-Rosa, junto com o ator Steve Martin, que interpretou o Inspetor Jacques Clouseau. No filme Beyoncé interpreta Xania, uma estrela pop internacional.[79] O filme foi lançado em 10 de fevereiro de 2006, e estreou em primeiro lugar nas bilheterias, arrecadando 21,7 milhões de dólares na semana de seu lançamento.[5] Beyoncé gravou para a trilha sonora do filme a música "Check on It", com a participação do rapper Slim Thug. A música foi lançada como um single e alcançou o primeiro lugar na Billboard Hot 100.[80]

Nenhuma música do seu segundo álbum foi escrita antes do fim das gravações de Dreamgirls.[81]

Todas as músicas do álbum foram inspiradas em Dreamgirls, Beyoncé afirmou que tinha muitas ideias quando as gravações do filme terminaram.[82]

No final de 2005, ela adiou mais uma vez as gravações de seu segundo álbum depois que conseguiu um papel no filme Dreamgirls, uma adaptação cinematográfica do musical de 1981 da Broadway também chamado Dreamgirls. O filme é vagamente baseado na história de Diana Ross e The Supremes.[83] No filme, ela interpreta Deena Jones uma personagem baseada em Diana Ross.[84]Lançado em dezembro de 2006, Dreamgirls tem a participação de Jamie Foxx, Eddie Murphy e Jennifer Hudson. A trilha sonora foi gravada pelos atores do filme.[85] No dia 14 de dezembro de 2006, Beyoncé recebeu duas indicações ao Globo de Ouro nas categorias Melhor atriz em um filme, comédia ou musical pela atuação em Dreamgirls e na categoria Melhor canção original por "Listen".[86]

Beyoncé trabalhou nos estúdios da Sony Music, em Nova Iorque, com colaboradores musicais do seu álbum anterior, como Rich Harrison, Rodney Jerkins e Sean Garrett.[87] Ela co-escreveu e co-produziu quase todas as canções incluídas no seu segundo álbum, que ficou concluído em três semanas.[87]

B'Day foi lançado em 5 de setembro de 2006 nos Estados Unidos e mundialmente em 4 de setembro de 2006, para coincidir com a data do seu aniversário de 25 anos de idade.[88] O álbum estreou em primeiro lugar na Billboard 200, vendendo mais de 541 mil cópias na primeira semana, tornando-se sua maior marca de vendas como artista solo.[89] O álbum foi certificado três vezes disco de platina nos Estados Unidos pela Recording Industry Association of America.[90] O primeiro single do álbum "Déjà Vu", alcançou a primeira posição no Reino Unido, o single tem a participação do rapper Jay-Z. "Irreplaceable" foi lançado mundialmente como o segundo single do álbum em outubro de 2006. Nos Estados Unidos ele foi lançado como o terceiro single do álbum. "Irreplaceable" permaneceu por 10 semanas consecutivas em primeiro lugar na Billboard Hot 100, se tornando uma das músicas bem sucedidas de Beyoncé na Billboard.[9] B'Day foi relançado em uma versão Deluxe em 3 de abril de 2007, incluindo cinco faixas novas e a versão em espanhol de "Irreplaceable" e "Listen".[91] Simultaneamente com a versão Deluxe foi lançado o DVD B'Day Anthology, que contém a videografia do álbum.[91] Para promover seu segundo álbum de estúdio Beyoncé deu início à turnê mundial The Beyoncé Experience em 2007. O DVD ao vivo The Beyoncé Experience Live foi lançado no mesmo ano. Contém uma apresentação desse turnê.[92] No Grammy Awards de 2007, o álbum B'Day foi premiado na categoria Melhor álbum de R&B contemporâneo.[93] No American Music Awards de 2007 Beyoncé se tornou a primeira mulher a ganhar o prêmio de Artista Internacional.[77]

Em 2008 Beyoncé interpretou a cantora Etta James no filme Cadillac Records. Seu desempenho no filme recebeu elogios da crítica.[94] No mesmo ano ela atuou com os atores Ali Larter e Idris Elba no filme Obsessed, que estava em produção desde maio de 2008.[95] O filme foi lançado nos Estados Unidos em 24 de abril de 2009, tendo um bom desempenho comercial arrecadando 11,1 milhões de dólares no dia de seu lançamento. Arrecadou 28,6 milhões de dólares após uma semana de seu lançamento.[96]

Seu terceiro álbum de estúdio, I Am... Sasha Fierce, foi lançado em 18 de novembro de 2008. Um mês antes do seu lançamento, Beyoncé lançou dois novos singles nas rádios "If I Were a Boy" e "Single Ladies (Put a Ring on It)".[97] "If I Were a Boy" alcançou a primeira posição em sete países diferentes, principalmente nos europeus.[98] "Single Ladies (Put a Ring on It)" ficou em primeiro lugar na Billboard Hot 100 durante quatro semanas não consecutivas, se tornando o seu quinto single em primeiro lugar na Billboard.[11]

É um alter ego criado pela própria Beyoncé para proteger quem ela é realmente. Quando ela está trabalhando ela é Sasha Fierce.[99]

No dia 18 de janeiro de 2009, Beyoncé cantou no Lincoln Memorial durante as festividades de posse do presidente Barack Obama, o 44 º presidente dos Estados Unidos.[100] No dia 20 de janeiro de 2009, o presidente Obama e sua esposa Michelle tiveram sua primeira dança no baile de posse com Beyoncé cantando sua versão cover da música "At Last", música cantada originalmente pela cantora Etta James.[101] Para promover seu terceiro álbum de estúdio ela iniciou em 2009 a turnê mundial I Am... Tour. Durante o período de 30 de julho a 2 de agosto de 2009 ela realizou em Las Vegas um show acústico intitulado I Am... Yours.[102]

No MTV Video Music Awards de 2009, o videoclipe da música "Single Ladies (Put A Ring On It)" foi premiado nas categorias Clipe do Ano, Melhor Coreografia e Melhor Edição.[103] Em outubro de 2009, ela foi premiada pela revista Billboard com o prêmio de Mulher do Ano.[104] A revista NME elegeu a música "Crazy in Love" como a melhor música da década de 2000.[105] Em dezembro de 2009 Beyoncé ficou em segundo lugar na lista dos Maiores Nomes da Indústria do Entretenimento, perdendo a primeira posição para o ator Johnny Depp.[106] Em 2009 fez uma parceria musical com Alicia Keys, sua amiga desde os 14 anos de idade.[107] As duas gravaram a música "Put It in a Love Song" que foi incluída no álbum The Element of Freedom.[107] Ela também regravou a música "Video Phone" e gravou a música "Telephone" com Lady Gaga.[108]

No início de 2010, em entrevista para o jornal USA Today, Beyoncé afirmou que iria fazer uma pausa de seis meses em sua carreira com o intuito de buscar inspiração para gravação de seu quarto álbum de estúdio.[109] Durante a entrevista disse:

Em 2010, Beyoncé foi a artista que mais recebeu indicações ao Grammy Awards. Foi premiada em seis categorias e se tornou a artista feminina que mais recebeu prêmios em apenas uma edição da premiação.[111] A turnê I Am... Tour terminou em fevereiro de 2010 passando por países da América Latina e no Caribe.[112] Durante a passagem de Beyoncé pelo Brasil, ela gravou com Alicia Keys o videoclipe da música "Put It in a Love Song" na Favela Santa Marta e no Morro da Conceição, ambos localizados na cidade do Rio de Janeiro.[113] A música "Telephone" se tornou o sexto single de Beyoncé e Lady Gaga em primeiro lugar na Billboard Pop Songs.[114]

Beyoncé gravou nos dias 13 e 14 de abril de 2010 a campanha do dia dos namorados para a marca de roupas e acessórios C&A. Também assinou uma coleção especial para a marca.[115][116] Beyoncé fez parte do projeto chamado C&A Pop Fashion, que utiliza pessoas do mundo pop musical. As cantoras Fergie e Nicole Scherzinger também já trabalharam nesse projeto.[117]

Em janeiro de 2011 foi anunciado que Beyoncé iria atuar no remake de A Star Is Born, que deverá ser dirigido e produzido por Clint Eastwood para a Warner Bros.[118] Esse será o quarto remake do filme, das versões que já foram feitas a que mas se destacou foi a versão de 1976 com Barbra Streisand e Kris Kristofferson.[118] Em fevereiro de 2011 documentos obtidos pelo site Wikileaks revelou que Beyoncé junto com Usher, Mariah Carey e Nelly Furtado tinham recebido mais de 1 milhão de dólares para se apresentar para os membros da família do líder da Líbia, Muammar al-Gaddafii.[119][120] A revista Rolling Stone informou que os executivos da indústria da música pediram que o dinheiro recebido para a realização dos concertos fossem devolvidos.[119] Em março de 2011 um porta-voz de Beyoncé disse ao The Huffington Post que ela havia doado o dinheiro para a Clinton Bush Haiti Fund, criada para ajudar as vítimas do terremoto no Haiti em 2010.[119]

No dia 11 de abril de 2011, Beyoncé divulgou o nome do seu quarto álbum de estúdio em uma entrevista feita pela revista Billboard, o álbum se chamará 4.[121] Durante a entrevista ela disse:

Em 28 de março de 2011, foi anunciado que a carreira de Beyoncé já não seria mais administrada por seu pai Mathew Knowles, que era o seu empresário desde a existência do grupo Destiny's Child.[122] O publicitário de Beyoncé divulgou um comunicado para a Associated Press revelando que Beyoncé e seu pai se separaram "em um nível de negócios".[122] Ela agora administra a si mesma e contratou sua própria equipe.[123] Em junho de 2011, a revista Forbes colocou Beyoncé na oitava posição na lista das "celebridades mais bem pagas com menos de 30 anos" por ganhar 35 milhões de dólares entre maio de 2010 e maio de 2011.[124] De acordo com a revista a baixa colocação de Beyoncé na lista foi devido ao fato de que ela passou a maior parte do ano de 2010 fora da estrada e gravando seu quarto álbum de estúdio.[124]

4 quarto álbum de Beyoncé foi lançado em 24 de junho de 2011. O álbum foi inspirado por vários músicos, incluindo Fela Kuti, The Stylistics, Lauryn Hill, Stevie Wonder e Off the Wall de Michael Jackson.[125] 4 estreou em primeiro lugar na Billboard 200, por vender na semana de sua estreia 310 mil cópias.[126] Esse acontecimento fez com que Beyoncé se tornasse a segunda artista feminina e a terceira na classificação geral com quatro álbuns em primeiro lugar na Billboard 200.[126] Porém, o álbum 4 foi o álbum de Beyoncé que teve menos vendagem na semana de estreia até o momento.[126] "Run the World (Girls)" primeiro single do álbum alcançou a posição de número 29 na Billboard Hot 100.[127] O segundo single do álbum "Best Thing I Never Had" foi lançado em 1 de junho de 2011. Beyoncé se apresentou no festival de Glastonbury, realizando uma performance de 90 minutos no 26 de junho de 2011.[128] Ela também se apresentou na Escócia no festival T in the Park em 9 julho de 2011, no dia seguinte ela participou do Oxegen Festival na Irlanda.[129][130] Nos dias 14, 16, 18 e 19 de agosto de 2011, Beyoncé realizou o 4 Intimate Nights with Beyoncé, uma série de shows que foram realizadas no Roseland Ballroom em Nova Iorque, para promover seu quarto álbum de estúdio 4.[131] Após confirmar sua gravidez durante a cerimônia do MTV Video Music Awards de 2011, Beyoncé entrou no Livro Guinness dos Recordes por quebrar recorde do Twitter, com 8 868 tweets sobre sua gravidez.[132][133] De acordo com a MTV, a performance de Beyoncé cantando "Love on Top" e o anúncio de sua gravidez no Video Music Awards fez com que a premiação fosse a mais assistida na história da premiação, tendo 12,4 milhões de espectadores.[134]

No dia 7 de janeiro de 2012, deu à luz sua primeira filha, Blue Ivy Carter, no Hospital Lenox Hill em Nova Iorque.[135] Dois dias depois, Jay-Z lançou "Glory", uma canção dedicada a sua filha. A música incluía alguns fatos do casal, incluindo um aborto espontâneo que Beyoncé sofreu antes de engravidar de Blue.[136] Devido ao choro de Blue Ivy no final da música, ela foi oficialmente creditada na música como B.I.C, se tornando a pessoa mais jovem a aparecer em uma parada musical da Billboard quando "Glory" estreou na R&B/Hip-Hop Songs, na 74ª posição.[137] Em 10 de fevereiro, Beyoncé e Jay-Z divulgaram fotos de Blue Ivy numa conta na rede social tumblr criada especialmente para a ocasião.[138] No 54º Grammy Awards, o compositor Ryan Tedder revelou durante uma entrevista que Beyoncé estava trabalhando em dois álbuns.

Beyoncé trabalhou com The-Dream, Kanye West, Hit-Boy, Diane Warren, Missy Elliott e Miguel.[140][141][142][143][144] Em maio de 2012, a revista Forbes colocou Beyoncé no 16º lugar na lista das "100 Celebridades" [mais bem pagas], tendo cerca de $40 milhões no ano passado pelo seu álbum 4, linha de roupas e contratos publicitários.[145][146] No mesmo mês, Beyoncé ganhou o prêmio de jornalismo da New York Association of Black Journalists, pela sua matéria na revista Essence, "Eat, Play, Love", onde ela conta seu período de férias na carreira em 2010.[147] Beyoncé se apresentou no Revel Atlantic City durante quatro noites, 25, 26, 27 e 28 de maio, para celebrar a abertura do resort.[148][149] O Revel Presents: Beyoncé Live foram as primeiras apresentações de Beyoncé depois de dar à luz sua filha, Blue Ivy Carter, em janeiro do mesmo ano.[150] Em agosto, Forbes colocou Beyoncé e Jay-Z na lista dos "Casais de celebridades mais bem pagos do mundo", por arrecadarem cerca de $78 milhões no ano passado.[151] Em 16 de outubro foi divulgado oficialmente que no dia 3 de fevereiro de 2013, ela se apresentaria no Super Bowl XLVII, no estádio Mercedes-Benz Superdome no New Orleans durante o show de intervalo da Pepsi NFL.[152] Beyoncé vai estrelar um documentário de longa-metragem na HBO em 16 de fevereiro de 2013. O filme, que foi dirigido e produzido por Beyoncé, conterá filmagens de sua infância, seu papel como mãe e empresária, gravando no estúdio, ensaiando para apresentações ao vivo, e equilibrar sua vida familiar, incluindo o seu retorno aos holofotes após o nascimento de Blue Ivy.[153] Beyoncé dublará Queen Tara nos cinemas na animação em 3D Epic, que será lançada pela 20th Century Fox no dia 24 de maio de 2013 nos Estados Unidos.[154]

No dia 10 de dezembro, a Pepsi anunciou oficialmente que iniciou uma parceria com Beyoncé.[155][156] Que consistia em Knowles integrando ao desenvolvimento de criação da empresa, e receberia o patrocínio da mesma, para investir no projeto de seu quinto álbum solo. O site da revista Billboard afirmou que um comercial de televisão - que estrearia durante o Super Bowl XLVII - e uma edição limitada de latas de refrigerante da marca com o retrato de Beyoncé também estaria no contrato.[157]

No dia 31 de dezembro de 2012 Beyoncé realizou um concerto no Wynn Las Vegas, especial de réveillon.[158]

No dia 3 de fevereiro de 2013 Beyoncé se apresenta durante o intervalo do Super Bowl XLVII e no mesmo dia anuncia sua nova digressão mundial intitulada de Mrs. Carter Show World Tour. A turnê se estendeu até o dia 27 de março de 2014, encerrando em Lisboa, Portugal, incluindo canções do seu quinto álbum de estúdio autointitulado BEYONCÉ, que foi lançado após o término da primeira parte da turnê mundial, na madrugada do dia 13 de dezembro de 2013.

No dia 28 de abril de 2014, Beyoncé anuncia com seu marido Jay-Z uma turnê conjunta de verão, a On the Run Tour, com datas com início em 25 de junho, em Miami, e terminam no dia 13 de setembro, em Paris.

Em agosto, ela recebeu o Video Vanguard Award no MTV Video Music Awards de 2014. Knowles também ganhou três prêmios competitivos: Melhor Vídeo com Mensagem Social e Melhor Cinematografia por "Pretty Hurts", além de Melhor Colaboração com "Drunk in Love". Em novembro, a Forbes relatou que Beyoncé foi a mulher que ganhou mais dinheiro na música pelo segundo ano consecutivo - ganhando 115 milhões de dólares no ano, mais do que o dobro de seus ganhos em 2013.[159]

No Grammy Awards em fevereiro de 2015, Beyoncé foi indicada para seis prêmios, ganhando três. Ela foi indicada ao grammy de Álbum do Ano, mas o prêmio foi para Beck com seu aclamado álbum Morning Phase.[160]

Em 6 de fevereiro de 2016, Beyoncé lançou "Formation" e o videoclipe de acompanhamento exclusivamente na plataforma de streaming de música Tidal; a música foi disponibilizada para download gratuito.[161] Ela tocou "Formation" ao vivo pela primeira vez durante o show do intervalo do NFL Super Bowl 50. A aparição foi considerada polêmica, já que parecia referir-se ao 50º aniversário do Partido dos Panteras Negras e a NFL proíbe declarações políticas em suas apresentações.[162][163][164] Imediatamente após a apresentação, Beyoncé anunciou a The Formation World Tour, que teve apresentações na América do Norte e na Europa.[165][166] Terminou em 7 de outubro, com Beyoncé trazendo seu marido Jay-Z, Kendrick Lamar, e Serena Williams para o último show.[167] A turnê passou a ganhar "Tour do ano" no 44º American Music Awards.[168]

Em 16 de abril de 2016, Beyoncé lançou um videoclipe teaser para um projeto chamado Lemonade. Acabou sendo um filme de uma hora que foi ao ar na HBO exatamente uma semana depois; um álbum correspondente com o mesmo título foi lançado no mesmo dia exclusivamente no Tidal.[169] Lemonade estreou no número um na Billboard 200 dos EUA, fazendo Beyoncé o primeiro artista na história da Billboard para ter seus primeiros seis álbuns de estúdio de estreia no topo da tabela; ela quebrou um recorde anteriormente empatado com o DMX em 2013.[170] Com todas as 12 faixas de Lemonade debutando na Billboard Hot 100, Beyoncé também se tornou a primeira artista feminina a fazer 12 ou mais músicas ao mesmo tempo.[171] Além disso, Lemonade foi transmitido 115 milhões de vezes através do Tidal, estabelecendo um recorde para o álbum mais transmitido em uma única semana por uma artista feminina na história.[172] Foi o terceiro álbum mais vendido de 2016 nos EUA, com 1,554 milhões de cópias vendidas naquele período dentro do país,[173] bem como o álbum mais vendido no mundo, com vendas globais de 2,5 milhões ao longo do ano.[174]

Lemonade tornou - se seu trabalho mais aclamado pela crítica até hoje, recebendo aclamação universal de acordo com o Metacritic, um site que coleta críticas de críticos profissionais de música.[175] Várias publicações musicais incluíram o álbum entre os melhores de 2016, incluindo a Rolling Stone, e listou Lemonade no número um.[176] Os visuais do álbum foram nomeados em 11 categorias no MTV Video Music Awards de 2016, o mais recebido por Beyoncé em um único ano, e ganhou 8 prêmios, incluindo o Vídeo do Ano por "Formation".[177][178] As oito vitórias fizeram de Beyoncé a artista mais premiada da história dos VMAs (24), superando Madonna (20).[179] Beyoncé ocupava o sexto lugar para a revista Time como Personalidade do Ano.[180]

Em janeiro de 2017, foi anunciado que Beyoncé seria a atração principal do Coachella Music and Arts Festival. Isso faria Beyoncé apenas o segundo headliner feminino do festival desde que foi fundado em 1999.[181] Mais tarde foi anunciado em 23 de fevereiro de 2017 que Beyoncé não seria mais capaz de realizar no festival devido a preocupações do médico sobre sua gravidez . Os proprietários do festival anunciaram que ela será a principal atração do festival de 2018.[182] Após o anúncio da saída de Beyoncé da programação do festival, os preços dos ingressos caíram 12%.[183]

No Grammy Awards de 2017 em fevereiro de 2017, Lemonade liderou com nove indicações, incluindo Álbum, Disco e Canção do Ano para Lemonade e "Formation", respectivamente.[184] Ganhando finalmente, ganhou dois, Melhor Álbum Urbano Contemporâneo para Lemonade e Melhor Vídeo Musical para "Formation".[185] Adele, ao ganhar seu Grammy de Álbum do Ano, afirmou que Lemonade era monumental e mais meritória.[186]

Em 13 de junho de 2017, Beyoncé deu à luz os gêmeos Rumi e Sir Carter no Ronald Reagan UCLA Medical Center, em Los Angeles, Califórnia.[187] Em setembro de 2017, Beyoncé colaborou com J Balvin e Willy William, para lançar um remix da música "Mi Gente". Beyoncé doou todos os lucros da música para instituições de caridade para furacões para os afetados pelo furacão Harvey e pelo furacão Irma no Texas, México, Porto Rico e outras ilhas do Caribe.[188]

Em 1º de novembro de 2017, foi confirmado que Beyoncé iria interpretar Nala no filme de Jon Favreau O Rei Leão, que é esperado para ser lançado em 19 de julho de 2019.[189] Em 10 de novembro, Eminem lançou "Walk on Water", com Beyoncé como o primeiro single de seu álbum Revival. Em 30 de novembro, Ed Sheeran anunciou que Beyoncé apresentaria o remix de sua música "Perfect".[190] "Perfect Duet" foi lançado em 1 de dezembro de 2017. A canção alcançou o número um nos Estados Unidos, tornando-se a sexta música de Beyoncé de sua carreira solo a conseguir esse feito.[191]

Em 4 de janeiro de 2018, o videoclipe da colaboração do álbum 4:44 de Beyoncé e Jay-Z, "Family Feud", foi lançado.[192] Foi dirigido por Ava DuVernay.

Em 1º de março de 2018, DJ Khaled lançou "Top Off" como o primeiro single de seu próximo álbum, Father of Asahd,com Beyoncé, Jay-Z e Future.[193] No dia seguinte, Beyoncé foi ao Instagram para convidar os fãs para se juntar a ela em um plano de dieta vegana de 22 dias, em preparação para sua performance no Coachella.[194]

Em 5 de março de 2018, uma turnê conjunta com o marido de Knowles, Jay-Z, vazou no Facebook.[195] Informações sobre a turnê foram mais tarde retiradas. O casal anunciou a turnê conjunta oficialmente como On the Run II Tour em 12 de março[196] e, simultaneamente, lançou um trailer para a turnê no YouTube.[197] Em 20 de março de 2018, o casal viajou para a Jamaica para filmar um videoclipe dirigido por Melina Matsoukas.[198]

Em 14 de abril de 2018, Beyoncé fez o primeiro dos dois finais de semana como atração principal do Coachella Music Festival. Sua performance em 14 de abril, que contou com a participação de 125 mil pessoas no festival, foi imediatamente elogiada, com vários meios de comunicação descrevendo-a como histórica. O desempenho tornou-se o mais twittado sobre o desempenho do primeiro fim de semana, bem como o desempenho ao vivo do Coachella mais assistido e a performance ao vivo mais assistida no YouTube de todos os tempos. O show homenageou a cultura negra, incluindo mais de 100 dançarinos e uma banda ao vivo. O Destiny's Child também se reuniu durante o show.[199][200]

Beyoncé iniciou sua carreira como atriz em 2001. Seu primeiro trabalho como atriz foi no filme Carmen: A Hip Hopera, interpretando Carmen Brown, uma aspirante a atriz com grandes sonhos que se apaixona por um sargento chamado Derek Hill, que é interpretado pelo ator Mekhi Phifer.[201] Esse filme foi produzido pela MTV e foi lançado apenas na televisão.[59]

Em 2002 ela atuou no filme Austin Powers in Goldmember interpretando Foxxy Cleópatra. Beyoncé co-estrelou o filme com o ator Mike Myers e gravou as músicas "Work It Out" e "Hey Goldmember", para a trilha sonora.[202] Na semana que o filme foi lançado ele arrecadou 73,1 milhões dólares.[5] Em 2003 ela interpretou Lilly, uma cantora de jazz que vive um romance com Darrin Hill, um executivo desempregado, que é interpretado pelo ator Cuba Gooding Jr. no filme The Fighting Temptations.[203] A maioria das músicas que estão na trilha sonora são cantadas pelo próprio elenco do filme.[63]

Em 2006 ela atuou no filme A Pantera Cor-de-Rosa interpretando Xania, uma pop star internacional. O filme estreou em primeiro lugar nas bilheterias arrecadando 21,7 milhões dólares na semana de seu lançamento.[5] Beyoncé gravou as músicas "Check on It" e "A Woman Like Me", mas não foram incluídas na trilha sonora oficial do filme.[204] No mesmo ano ela interpretou Deena Jones, uma personagem inspirada em Diana Ross, no filme Dreamgirls.[205] Sua atuação no filme lhe rendeu duas indicações ao Globo de Ouro nas categorias Melhor atriz em um filme, comédia ou musical e Melhor canção original para música "Listen".[81]

Em 2008 ela interpretou a cantora Etta James no filme Cadillac Records.[94] Beyoncé regravou várias música para a trilha sonora do filme, incluído a música "At Last".[206] Em 2009 ela atuou em Obsessed interpretando Sharon Charles, mãe de um filho chamado Kyle Charles e esposa do bem sucedido consultor financeiro Derek Charles.[207]

Em 2011 Beyoncé confirmou que irá participar do remake de A Star Is Born, longa de Clint Eastwood, no papel principal. Na entrevista feita pela Billboard Magazine, a cantora fez questão de dizer que está realizando um sonho..[121]

Em 2003, Beyoncé lançou seu primeiro álbum de estúdio em carreira solo, Dangerously in Love. No ano seguinte o álbum foi premiado no Soul Train Music Awards na categoria Best R&B/Soul Album - Female.[208] O primeiro single do álbum, "Crazy in Love", venceu algumas categorias em diversos prêmios, se destacando no Grammy Awards de 2004 por vencer duas das três categorias em que estava concorrendo.[209] O videoclipe da música foi indicado a quatro categorias no MTV Video Music Awards de 2003, vencendo as categorias Melhor Clipe Feminino, Melhor Vídeo Musical de R&B e Melhor Coreografia num Clipe.[210]

Em 2006, ela lançou seu segundo álbum de estúdio, B'Day. O álbum venceu a categoria Melhor Álbum R&B Contemporâneo no Grammy Awards e a categoria Álbum do Ano no Premios Oye.[211][212] O videoclipe de "Irreplaceable" foi premiado no BET Awards na categoria Clipe do Ano.[213] Tanto a música quanto o videoclipe de "Irreplaceable" receberam algumas indicações em algumas premiações como Grammy Awards, Teen Choice Awards, Soul Train Music Awards entre outras premiações musicais.

Seu terceiro álbum, I Am... Sasha Fierce, foi lançado em 2008. Um ano mais tarde ele venceu a categoria Álbum do Ano no Soul Train Music Awards.[214] "Single Ladies (Put A Ring On It)" foi uma das músicas do seu terceiro álbum que mais se destacou nas premiações musicais. No BET Awards venceu a categoria Clipe do Ano; no Grammy Awards a música venceu três categorias; no MTV Video Music Awards de 2009 o videoclipe da música recebeu nove indicações; mas venceu apenas três categorias Clipe do Ano, Melhor Coreografia e Melhor Edição.[215] A revista Billboard elegeu Beyoncé como a mulher do ano em 2009.[216] Em 2010, ela e o ator Robbie Williams receberam o prêmio NRJ Award of Honor no NRJ Music Awards.[217] No mesmo ano ela tornou-se a artista feminina que mais foi premiada em apenas uma edição do Grammy Awards, por vencer seis das dez categorias em que estava concorrendo.[12] Sua parceria com a cantora Lady Gaga na música "Telephone" venceu a categoria Melhor Colaboração num Clipe no MTV Video Music Awards de 2010.[218] Em 2011 no Billboard Music Awards, Beyoncé foi homenageada com o prêmio Billboard Millennium, para reconhecer as realizações de sua carreira e influência na indústria da música.[219] No mesmo ano, o perfume Heat foi premiado no Cosmetic Norwegian Award e no Dutch Drugstore Award.[220][221] O videoclipe da música "Run the World (Girls)" vence a categoria Best Choreography no MTV Video Music Awards de 2011.[222]

Em 24 de agosto de 2014, Beyoncé recebeu o troféu Michael Jackson Video Vanguard Award dado por seu marido Jay-Z e a filha Blue Ivy Carter após seu desempenho de 15 minutos de várias músicas do seu novo e quinto álbum.

Beyoncé nomeia Michael Jackson como sua maior influência musical.[223] Com cinco anos, Beyoncé assistiu a seu primeiro concerto em que Jackson se apresentou e ela afirma ter realizado o seu propósito.[224] Quando ela o presenteou com um prêmio de homenagem no World Music Awards em 2006, Beyoncé disse: "se não fosse por Michael Jackson, eu nunca teria me apresentado".[225]Beyoncé foi fortemente influenciada por Tina Turner, ela disse "Tina Turner é alguém que eu admiro, porque ela tornou a sua força feminina e sensual".[226] Ela admira Diana Ross como uma "artista em torno de tudo"[227] e Whitney Houston, que ela disse "me inspirou a chegar lá e fazer o que ela fez".[228] Beyoncé citou Madonna como uma influência "não só pelo seu estilo musical, mas também pelo seu senso de negócios"[229], dizendo que queria "seguir os passos de Madonna e ser uma potência e o meu próprio império"[230].Ela credita a canção de Mariah Carey e sua música "como influenciando-a a começar a praticar corridas vocais quando criança".[231][232] Suas outras influências musicais incluem Aaliyah,[233] Prince,[234] Lauryn Hill,[227] Sade Adu,[235] Donna Summer,[236] Mary J. Blige,[237] Janet Jackson,[238] Anita Baker e Rachelle Ferrell.[239]

O feminismo e temas de empoderamento feminino no segundo álbum solo de Beyoncé, B'Day, foram inspirados por seu papel em Dreamgirls[240] e pela cantora Josephine Baker.[241] Beyoncé prestou homenagem a Baker, cantando "Déjà Vu" no concerto Fashion Rocks de 2006 usando a saia mini-hula de Baker embelezada com bananas falsas.[242] O terceiro álbum solo de Beyoncé I Am... Sasha Fierce, foi inspirado por Jay-Z e especialmente por Etta James, cuja "ousadia" inspirou Beyoncé a explorar outros gêneros e estilos musicais.[243] O seu quarto álbum solo, 4, foi inspirado por Fela Kuti, R&B dos anos 1990, Earth, Wind & Fire, DeBarge, Lionel Richie, Teena Marie, The Jackson 5, New Edition, Adele, Florence and the Machine, e Prince.[239]

Beyoncé afirmou que ela é pessoalmente inspirada por Michelle Obama (a 44ª primeira-dama dos Estados Unidos), dizendo "Ela prova que você pode fazer tudo"[244] e ela descreveu Oprah Winfrey como "a definição de inspiração e um forte mulher".[227] Ela também discutiu como Jay-Z é uma inspiração contínua para ela, tanto com o que ela descreve como seu gênio lírico e nos obstáculos que ele superou em sua vida.[245] Beyoncé expressou admiração pelo artista Jean-Michel Basquiat, postando em uma carta "o que encontro na obra de Jean-Michel Basquiat, busco em todos os dias na música ... ele é lírico e cru"..[246][247] Em fevereiro de 2013, Beyoncé disse que Madonna a inspirou para assumir o controle de sua própria carreira. Ela comentou: "Eu penso sobre Madonna e como ela levou todas as grandes coisas que ela conseguiu e começou a gravadora e desenvolveu outros artistas. Mas não há o suficiente dessas mulheres".[248]

Sua voz é considerada mezzo-soprano dramático,[249] com um registro vocal de 3,6 oitavas.[250] Para o jornalista Jon Pareles do The New York Times, Beyoncé sempre foi a peça central do grupo Destiny's Child. A sua voz é a voz que define o grupo.[251] Para o jornalista Paul Flynn do The Guardian, a voz de Beyoncé é única e rápida, com muita técnica vocal.[252] Outros críticos elogiaram sua voz e sua potência vocal, quando escutaram o seu segundo álbum B'Day.[253] Jody Rosen, do Entertainment Weekly, escreveu: "Beyoncé Knowles é uma tempestade disfarçada como cantora. Em seu segundo álbum solo B'Day, as canções chegam em grandes rajadas de ritmo e emoção, com a sua voz ondulada por batidas e ritmos. Você teria que pesquisar muito, talvez nos salões do Metropolitan Opera, para encontrar um vocalista que canta com a mais pura força. Ninguém, nem R. Kelly, nem Usher, nem suas rivais divas do pop podem se igualar ao gênio de Beyoncé cantando batidas de hip-hop".[253] Chris Richards do The Washington Post escreveu: "mesmo quando ela é imitada, ela supera as suas imitações. Está tudo na sua voz, um instrumento sub-humano capaz de pontuar qualquer batida, Beyoncé canta muito bem".[254] A revista Cove colocou Beyoncé no sétimo lugar na sua lista dos 100 Cantores Pop Mais Conhecidos, lhe dando 48 de 50 pontos, que foram avaliados em vários critérios que vão desde a sua capacidade vocal a harmonia de suas músicas.[255] Beyoncé frequentemente tem sido comparada a artistas como Mariah Carey, por usar melisma em suas músicas. O jornal Eye Weekly escreveu que "não há dúvida de que Beyoncé é uma das melhores cantoras do pop, talvez uma das melhores vivas".[256]

Sua música é classificada como R&B contemporâneo, mas também inclui os gêneros dance-pop, funk, pop e soul.[257] Ela sempre cantou suas músicas em inglês, mas para lançar o álbum B'Day Deluxe Edition, gravou várias em espanhol.[258] As Destiny's Child já havia gravado uma música em espanhol e receberam respostas favoráveis de seus fãs latinos. Beyoncé estudou espanhol na escola quando era jovem, mas agora só fala algumas palavras da língua.[258] Antes de gravar as músicas em espanhol, ela foi treinada foneticamente por Rudy Perez, um produtor americano.[258]

Mesmo quando estava com as Destiny's Child, Beyoncé afirma ser artisticamente envolvida em sua carreira.[40] Ela recebeu créditos por co-escrever e produzir a maioria das músicas gravadas pelo Destiny's Child e de sua carreira a solo, é muito conhecida por escrever músicas pessoais e feministas.[259] Mas ela já declarou que depois que Jay-Z entrou em sua vida, ela mudou os seus pensamentos sobre como homens e mulheres se relacionam entre si.[259] A maioria de suas músicas são autobiográficas, a própria cantora já confirmou que se inspira em experiências pessoais e experiências vividas pelos seus amigos.[260]

Beyoncé também já recebeu crédito pela co-produção da maioria dos trabalhos em que esteve envolvida, especialmente durante os seus trabalhos a solo.[261] Normalmente ela não surge com batidas, melodias e ideias prontas, tudo isso surge durante a produção do trabalho.[261] A American Society of Composers, Authors and Publishers, deu a Beyoncé em 2001 o prêmio de Compositor do Ano, pela suas composições feitas para o grupo Destiny's Child no período de 1990 a 2000.[262] Beyoncé foi a primeira compositora afro-americana e primeira mulher a ganhar esse prêmio.[33][260] Ela também já recebeu em um só ano três créditos como compositora por co-escrever "Irreplaceable", "Check on It" e "Grillz" (que tem uma amostra da música "Soldier" do grupo Destiny's Child), se tornando a única mulher desde Carole King em 1971 e Mariah Carey em 1991.[263] Beyoncé está em terceiro lugar, junto com Diane Warren, em relação a créditos, com nove singles em primeiro lugar.[263]

Em 2006 Beyoncé apresentou sua banda feminina, as Suga Mama, que inclui baixistas, bateristas, guitarristas, trompetista, saxofonista alto, saxofonista tenor, tecladistas e percussionistas.[264] A banda estreou no BET Awards de 2006 e apareceu nos videoclipes das músicas "Irreplaceable" e "Green Light" de Beyoncé.[258] O grupo também acompanhou Beyoncé na sua segunda turnê solo The Beyoncé Experience Tour em 2007 e em sua terceira turnê solo I Am... Tour de 2009.

Depois de assistir um show da turnê I Am... Tour, Alice Jones, do The Independent, escreveu: "Beyoncé é verdadeiramente uma diva para cada ocasião".[265] O jornal The New York Times escreveu que "há uma elegância de tirar o fôlego em seu desejo agudo de entreter o publico".[266] Renee Michelle Harris, do jornal South Florida Times, escreveu: "Beyoncé atua no palco com uma arrogância e intensidade. Mostrando a sua poderosa voz, sem perder nenhuma nota, muitas vezes, envolvida em vigorosos passos de dança. Ninguém, nem Britney Spears, nem Ciara ou Rihanna, pode fazer o que ela faz: um pacote completo de voz, movimentos e presença".[267]

O Daily Mail escreveu: "muitos especialistas da indústria acreditam que Beyoncé é como o próximo Michael Jackson. Embora seja muito cedo para tais comparações, ela certamente provou que ela é um dos artistas mais talentosos e excitantes atualmente e pode muito bem entrar para a história como tal".[268] Vários críticos já elogiaram suas performances ao vivo. Depois de assistir um de seus shows, Jim Farber, do jornal The Daily News, escreveu: "a forma como Beyoncé usou o seu corpo, intensificou o sentimento de triunfo. O seu cabelo parecia uma Medusa, suas pernas longas e suficiente para dar orgulho a Tina Turner".[269] Stephanie Classen do The StarPhoenix declarou que "o show de Beyoncé não é um show comum, ela domina o show".[270] O jornal Newsday escreveu que "ela provou que a coreografia quente e vocais fortes não precisam ser mutuamente exclusivos, é possível cantar e dançar sem playback".[271]

Para promover seu álbum de estreia Dangerously in Love, Beyoncé iniciou em 2003 sua primeira turnê em carreira solo, Dangerously in Love Tour, que passou pelo Reino Unido, Irlanda e Holanda. Em 2004, Beyoncé e as cantoras Alicia Keys, Missy Elliott e Tamia realizaram no Estados Unidos uma turnê promocional intitulada Verizon Ladies First Tour.[272] Em 2007, Beyoncé fez sua segunda turnê solo, The Beyoncé Experience Tour, para promover o seu segundo álbum de estúdio B'Day.[273] A turnê The Beyoncé Experience Tour foi a primeira turnê de Beyoncé com a participação da banda feminina Suga Mama.[274]

Em 2009 Beyoncé iniciou sua terceira turnê solo I Am... Tour, que se tornou a 12ª turnê mundial com melhor bilheteria, ultrapassando mais de 37,4 milhões de dólares nos seus primeiros 41 shows, de acordo com o site Poll Star.[275] Em 2010, a turnê passou pelo Caribe e por alguns países da América Latina, incluindo o Brasil, com shows em Florianópolis, São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador.[276]

Em 2013, Beyoncé inicia sua turnê The Mrs. Carter Show World Tour.

Em 23 de novembro de 2003, Beyoncé e outros artistas como Anastacia e Bono Vox, participaram do evento de caridade 46664, que foi organizado por Nelson Mandela com o objetivo de alertar a população sobre o HIV/AIDS (SIDA, em Portugal) na África do Sul.[277][278] O evento aconteceu no Green Point Stadium, Cidade do Cabo, e todo o lucro arrecadado com o evento foi destinado aos programas realizados pela Fundação Mandela.[279]

Durante a turnê I Am... Tour, Beyoncé gravou no dia 2 de agosto de 2009 no Teatro Encore, em Las Vegas, o show acústico I Am... Yours, que pode ser visto no álbum I Am... Yours: An Intimate Performance at Wynn Las Vegas.[280] Em janeiro de 2010, participou do Hope for Haiti Now: A Global Benefit for Earthquake Relief, em Londres, junto com outros artistas, como Jay-Z, Bono Vox, The Edge e Rihanna.[281] Beyoncé cantou uma versão acústica de sua música "Halo", acompanhada por Chris Martin ao piano.[281] Nos dias 14, 16, 18 e 19 de agosto de 2011 Beyoncé realizou o 4 Intimate Nights with Beyoncé, que se trata de shows intimistas em Nova Iorque para a divulgação do álbum 4, Beyoncé cantou seus maiores sucessos, desde o tempo das Destiny's Child, além da maioria das músicas do álbum que estava sendo divulgado.[131]

Beyoncé se apresentou em Portugal pela primeira vez em 24 de maio de 2007, no Pavilhão Atlântico, em Lisboa.[282] O preço dos bilhetes para o concerto custou entre 30 e 42 euros.[282] Beyoncé foi até o país para divulgar seu segundo álbum de estúdio, B'Day.[282]

No dia 18 de maio de 2009 Beyoncé realizou seu segundo concerto em Portugal para divulgar seu terceiro álbum solo, I Am... Sasha Fierce.[283] O concerto da turnê I Am... Tour foi realizado no Pavilhão Atlântico, em Lisboa.[284] A venda dos bilhetes para o concerto teve início no dia 12 de dezembro de 2009 e os bilhetes custaram entre 34 e 45 euros.[285]

Em 2014 voltou a Portugal, na digressão Mrs. Carter Show World Tour, para atuar dois dias (26 e 27 de março) no MEO Arena. Os bilhetes para ambos os dias esgotaram.

No dia 9 de dezembro de 2009, a cantora Ivete Sangalo confirmou em seu Twitter que iria abrir os shows de Beyoncé no Brasil.[286] Em seu Twitter também postou elogios a Beyoncé, escrevendo: "Beyoncé é sem dúvida alguma a maior artista dos últimos anos, ela é linda e vem para arrasar".[287]

Os ingressos para os shows dela no Brasil, começaram a ser vendidos a partir do dia 21 de dezembro de 2009.[288] Os ingressos para o show no Rio de Janeiro se esgotaram em menos de uma semana após o início das vendas.[289] Na Bahia, a venda dos ingressos aconteceu apenas no Shopping Iguatemi, causando uma super lotação no Shopping.[290]

Suas apresentações foram em 4 de fevereiro, em Florianópolis, no Parque Planeta Atlântida; 6 de fevereiro, em São Paulo, no Estádio do Morumbi; nos dias 7 e 8 de fevereiro no HSBC Arena, no Rio de Janeiro; e no dia 10 de fevereiro em Salvador, no Parque de Exposições de Salvador.[291]

O show de abertura em Florianópolis e no Rio de Janeiro foi feito por Wanessa Camargo.[292] Em São Paulo, apenas Ivete Sangalo fez o show de abertura. A apresentação da banda feminina Valkyrias foi cancelada por causa da forte chuva que aconteceu no dia do show.[293] Em Salvador, Ivete Sangalo realizou o show de abertura.[294]

Durante o seu primeiro show, Beyoncé falou para seus fãs o motivo que fez ela cantar no Brasil, dizendo: "Estou muito feliz de estar no Brasil pela primeira vez. Só tenho a agradecer por todo esse carinho. No Twitter e na internet, vocês pediram para vir ao Brasil e aqui estou".[295]

Seu show no Estádio do Morumbi teve um total de 60 mil pessoas.[293] Durante sua apresentação ela afirmou que esse foi um dos seus maiores públicos, dizendo: "Muito obrigada por me receberem aqui. Este é meu maior show, e este é um dos maiores públicos para o qual cantei".[296]

Durante seu primeiro show no Rio de Janeiro ela declarou:

Seus shows no Brasil tiveram críticas positivas do público e da mídia. Carlos Albuquerque, do jornal O Globo, escreveu que "turnê de Beyoncé é uma espécie de 'Avatar' musical". O jornalista ainda fez elogios a performance e ao palco de Beyoncé.[298]

Após fazer uma inesquecível performance no intervalo da NFL, no conceituado Super Bowl, a diva anunciou uma turnê mundial, intitulada "The Mrs. Carter Show World Tour" a turnê serviu para provar que ela não é só a mulher do rapper Jay Z, e que ela é de fato, 'a dona do mundo'! A turnê arrecadou mais de 210 milhões de dólares pelo mundo todo, sendo a quarta turnê feminina mais lucrativa da história. E é claro que ela não poderia deixar o Brasil de fora! Ela marcou presença no Rock in Rio de 2013 e fez a Cidade do Rock tremer. Após se apresentar no Rock in Rio, a diva fez uma série de shows pelas principais capitais do país. Segundo ela, o show de São Paulo, feito no Estádio do Morumbi, foi o maior e melhor show que ela fez em sua carreira, no qual fez os mais de 80 mil fãs irem ao delírio em baixo da chuva, que não impediu que ela desse tudo de si.

Alguns meses após a diva surpreender o mundo com o lançamento surpresa de seu quinto álbum de estúdio na madrugada do dia 13 de dezembro de 2013, o consagrado "BEYONCÉ", a diva saiu em turnê de verão conjunta com seu marido Jay Z. On The Run Tour se tornou a turnê mais lucrativa por show da história e uma das mais lucrativas do ano. Mostrando um lado mais "feroz" da diva, que viveu uma "bandida" no Clipe "Run", feito para turnê. O encerramento da turnê em Paris foi transmitido pela HBO e teve participação da rapper Nicki Minaj no Remix da música "***Flawless" fazendo disso um dos acontecimentos que marcaram o ano.

Em 2005, Beyoncé e sua mãe criaram juntas uma linha de roupas femininas chamada House of Deréon.[299] Agnèz Deréon avó de Beyoncé que era uma costureira foi a principal inspiração para a criação dessa linha de roupas.[15] De acordo com Tina Knowles, todas as roupas da marca mostram o estilo e o gosto Knowles.[300]

Os produtos da marca só foram lançados em 2006. Foram mostrados publicamente na turnê Destiny Fulfilled ... And Lovin' It do grupo Destiny's Child.[301] A linha de roupas está disponível em varejo e lojas especializadas em todo o mundo, podendo encontrar roupas esportivas, agasalhos e acessórios como bolsas e calçados.[15] Beyoncé também se uniu à House of Brands, uma empresa de calçados local, para produzir uma grande quantia de calçados para a House of Dereon.[302] Em 2004, novamente com o apoio da sua mãe, Beyoncé fundou a empresa Beyond Productions, que pertence a sua família e que fornece o licenciamento e a gestão da marca para House of Deréon.[303] No início de 2008, a linha House of Deréon lançou um jogo para celular, com um componente de rede social on-line chamado Beyoncé Fashion Diva.[303]

A organização dos direitos dos animais, formado pelo PETA, criticou a artista por usar pele de animais em sua linha de roupas.[304] A organização enviou cartas de protesto para Beyoncé, pedindo para que ela pare de utilizar peles de animais em sua linha de roupas.[305] O PETA teve um jantar com Beyoncé para resolver esse problema.

No dia 1 de julho de 2009, Beyoncé e sua mãe, Tina Knowles, lançaram uma linha de roupas femininas de volta às aulas, inspiradas nos figurinos para a turnê do álbum I Am... Sasha Fierce. Todas as roupas da coleção foram desenhadas por Thierry Mugler.[306] Além das roupas, a coleção é composta de agasalhos, bolsas, calçados, óculos, lingerie e bijuterias. A coleção não inclui a luva de metal de Sasha Fierce e o leque de dinheiro mostrado no videoclipe da música "Diva".[307]

Beyoncé assinou um contrato com a Pepsi em 2002. O contrato inclui aparições em comerciais de televisão, rádio e anúncios na Internet.[308] Ela foi escolhida pela empresa para ajudar a realizar vendas mais amplas.[309] Em 2004, a Pepsi fez uma propaganda com Beyoncé, Britney Spears, Pink e Enrique Iglesias. Na propaganda todos usavam roupas de gladiador.[310] No ano seguinte, a Pepsi gravou uma propaganda com Beyoncé, Jennifer Lopez e David Beckham, chamada Samurai.[311] Ao longo de sua carreira Beyoncé já realizou vários tipos de propagandas de produtos diferenciados, como de perfumes e produtos de beleza. Em 2003, ela assinou um contrato de 1 milhão de dólares com a empresa L'Oréal.[312] Beyoncé trabalha para a empresa desde seus 18 anos de idade.[313]

Em 2004, Beyoncé lançou um perfume de Tommy Hilfiger chamado True Star.[314] Para divulgar melhor o perfume, ela cantou sua versão cover da música "Wishing on a Star" nos comerciais do perfume, faturando 250 mil dólares para realizar as campanhas publicitarias.[314] Existe uma versão masculina do perfume, chamada True Star For Man. Essa versão tem como garoto propaganda o cantor Enrique Iglesias.[315] Beyoncé também lançou os perfumes True Star Gold, em 2005, e Emporio Armani Diamonds, em 2007.[316]

A revista Forbes anunciou que Beyoncé ganhou 80 milhões dólares entre junho de 2007 e junho de 2008, juntando o que ela ganhou com o seu álbum, sua turnê, seus negócios no mundo da moda e campanhas publicitarias, se tornando a segunda personalidade da música a arrecadar essa quantia de dinheiro em tão pouco tempo.[317] No período de junho de 2008 a junho de 2009, Beyoncé ganhou 87 milhões dólares de acordo com a revista Forbes, colocando Beyoncé no quarto lugar na sua lista das 100 Celebridades Poderosas do Ano.[318] Em 2010, a revista Forbes divulgou a sua lista das celebridades mais poderosas. Beyoncé ficou em terceiro lugar por arrecadar 87 milhões de dólares com a sua turnê, com sua linha de roupas House of Dereon e fazendo a divulgação do Nintendo e da L'Oréal.[319] Beyoncé também entrou na lista das 100 Celebridades mais Poderosas e Influentes, que também feita pela da revista Forbes. Nessa lista Beyoncé ficou em segundo lugar.[320] Na lista dos casais mais ricos feita pela Forbes, em 2010, Beyoncé e Jay-Z ficaram em primeiro lugar por arrecadar 122 milhões de dólares no período de junho de 2008 a junho de 2009.[321] No final de dezembro de 2010, a revista Forbes informou que Beyoncé ganhou 87 milhões dólares entre Janeiro de 2010 a dezembro de 2010, ela ficou em nono lugar na lista das 20 celebridades de Hollywood que mais faturaram em 2010.[322][323]

No réveillon de 2009 para 2010, Hannibal Gaddafi, filho do então ditador líbio Muammar Gaddafi, contratou Beyoncé por 2 milhões de dólares para que ela fizesse um show particular na ilha de São Bartolomeu. A apresentação durou uma hora e Beyoncé cantou cinco músicas, acompanhada de sua banda Suga Mama e de seus dançarinos.[324] Beyoncé recebeu críticas negativas da imprensa americana, que afirmou que ela não deveria se apresentar para um homem com uma extensa lista de agressões a mulheres e que não é conveniente para uma amiga do casal Obama fazer um show para o filho do ex-ditador, cujo regime esteve na lista dos que apoiavam o terrorismo.[325] Em 2011, a cantora anunciou que doou o cachê pago pela família de Gaddafi para a ajuda humanitária no Haiti.[326]

Em 2010, Beyoncé lançou seu primeiro perfume Heat.[327] Para a campanha publicitaria do perfume ela regravou sua versão cover da música "Fever", que foi gravada por Beyoncé pela primeira vez em 2003, para a trilha sonora do filme The Fighting Temptations.[63] Especialistas do setor estimam que o perfume poderia arrecadar US$ 100 milhões no varejo mundial em seu primeiro ano.[328]

Em entrevista ao site WWD, Beyoncé afirmou que deu palpites em todos os processos de produção do perfume e explicou todo o conceito por trás da fragrância, dizendo:

Beyoncé tem muitas estátuas de cera diferentes, incluído uma no museu Madame Tussauds.[331] Tina Knowles lançou em 2002 um livro intitulado Destiny's Style: Bootylicious Fashion, Beauty and Lifestyle Secrets From Destiny's Child. O livro descreve como o sucesso atingiu o Destiny's Child.[332] Em 2007 ela se destacou como capa da revista Sports Illustrated Swimsuit Issue, se tornando a primeira mulher não-modelo e não-atleta e a segunda afro-americana depois da modelo Tyra Banks a estampar a capa da revista.[77] No mesmo ano, uma imagem de Beyoncé segurando um longo cigarro foi exposta nos outdoors e jornais dos Estados Unidos, para fazer a divulgação do seu álbum B'Day. A imagem não agradou a um grupo de antitabagismo que declarou que ela não precisa adicionar o suporte de cigarro para parecer uma pessoa mais sofisticada.[333]

Por ser uma das celebridades negras mais expostas a mídia nos Estados Unidos, Beyoncé tem recebido muitas vezes críticas devido ao racismo e ao sexismo.[334] Ela já processou a empresa L'Oréal por ter alterado o seu tom de pele digitalmente em uma de suas propagandas. A empresa negou ter alterado os traços ou o tom de pele de Beyoncé na propaganda do produto.[335] A revista Vanity Fair também foi acusada de alterar o tom de sua pele digitalmente, mas nada foi confirmado pela revista.[336]

No dia 24 de abril de 2009 Beyoncé apareceu no programa de televisão Larry King Live, com uma imagem mais política e conservadora sobre tudo, desde cantar na inauguração do presidente Barack Obama, ao racismo que ela enfrentou por ser um afro-americano.[337] Durante a entrevista ela afirmou que cantar para o presidente no baile de posse foi o destaque de sua carreira.[337]

A revista People elegeu Beyoncé como a artista mais bem vestida de 2007.[338] Para a revista Rolling Stone, depois do lançamento do álbum Dangerously in Love, ela se tornou um símbolo sexual, semelhante a mulheres como a atriz Halle Berry.[339] No World Music Awards de 2008, Beyoncé foi homenageada com um prêmio pela sua contribuição excepcional para as artes.[340] O Salão da Fama e Museu do Rock and Roll colocou o álbum Dangerously in Love na lista dos 200 álbuns definitivos no Rock and Roll Hall of Fame.[341]

Após o lançamento de seu terceiro álbum, I Am... Sasha Fierce, Beyoncé apresentou para o mundo o seu alter ego, Sasha Fierce, que segundo a cantora representa o seu lado mais agressivo, sensual e confiante como cantora.[342] Em entrevista a revista People ela disse que esse alter ego é estritamente para o palco e que Sasha Fierce nasceu durante as filmagens do videoclipe de "Crazy in Love".[342] Em uma entrevista para a MTV ela disse: "Sasha Fierce é divertida, mais sensual, mais agressiva e o lado mais sincero e mais glamoroso que surge quando eu estou trabalhando e quando estou no palco".[343] Durante uma entrevista para a revista Marie Claire, ela revelou que se sente possuída por seu alter ego no palco e criou Sasha Fierce para fazer coisas que faria normalmente.[344]

Beyoncé e a sua família, junto com a cantora Kelly Rowland, criaram a Survivor Foundation, que é uma instituição de caridade que visa à criação de alojamentos provisórios para as vítimas do Furacão Katrina, evacuado as vítimas em Houston no Texas.[304] Beyoncé também doou 100 mil dólares para o Gulf Coast Ike Relief Fund, que beneficia as vítimas do Furacão Ike, na área de Houston.[345] Ela organizou uma angariação de fundos para aumentar as doações para beneficiar as vítimas do Furacão Ike através da Survivor Foundation.[346]

Em 2005, o produtor David Foster e a sua filha Amy Foster-Gillies escreveram a música "Stand Up for Love", que foi lançada como o hino do Dia Mundial da Criança pelo grupo Destiny's Child, em um evento que ocorre anualmente em todo o mundo em 20 de novembro para conscientizar e levantar fundos para causas de crianças em todo o mundo.[304] Em 2008, Beyoncé gravou com outras cantoras a música "Just Stand Up!", para o programa de caridade Stand Up to Cancer.[347]

Durante as pausas da turnê The Beyoncé Experience Tour, Beyoncé criou unidades de coleta de alimentos em Houston em 14 de julho; Atlanta em 20 de julho; Washington, D.C. em 9 de agosto; Toronto em 15 de agosto; Chicago em 18 de agosto; e Los Angeles no dia 2 de setembro de 2007, com o objetivo de doar estes alimentos para as pessoas necessitadas.[348] Para explicar melhor esta coleta de alimento, a cantora afirmou:

No dia 4 de outubro de 2008, Beyoncé participou do Miami Children's Hospital Diamond Ball & Private Concert no AmericanAirlines Arena em Miami, onde ela foi incluída no International Pediatric Hall of Fame.[349]

Ao longo do evento o pianista Ethan Bortnick dedicou a música "Over The Rainbow" a ela.[350] Depois que Beyoncé encerrou as gravações do filme Cadillac Records, onde ela interpreta a cantora Etta James, que já foi viciada em heroína, ela doou todo o dinheiro que ganhou para fazer o filme para a fundação Phoenix House.[351]

Beyoncé sempre incentivou seus fãs a trazerem alimentos não-perecíveis para os seus shows nos Estados Unidos, com o objetivo de ajudar a Feeding America, para que ela possa doar mais de 3,5 milhões de refeições para os bancos de alimentos locais.[352] No dia 22 de janeiro de 2010, Beyoncé participou junto com outros artistas do show beneficente Hope For Haiti Now (em português: Esperança Para o Haiti Agora), cantando em Londres para ajudar as pessoas no Haiti. O dinheiro arrecadado com o evento foi para a Cruz Vermelha, para o Unicef e para as organizações Oxfam.[353] Beyoncé foi nomeada o rosto oficial da edição limitada de camisetas Fashion For. A camiseta possui a frase "To Haiti With Love" (em português: "Para o Haiti Com Amor"). Foi desenhada por Peter Arnell, que também criou as camisetas para o Fashion for America.[354]

No dia 5 de março de 2010, Beyoncé e sua mãe inauguraram no Brooklyn Phoenix House o centro de cosmética Beyoncé Cosmetology Center.[355] O centro oferece um curso de treinamento de sete meses sobre cosméticos para homens e mulheres.[355] Todos os produtos que são utilizados no centro foram doados pela empresa L'Oréal.[355] Beyoncé e sua mãe se comprometeram a doar para o centro 100 mil dólares anualmente.[356] Em março de 2011, a National Association of Broadcasters Education Foundation (NABEF) anunciou que está lançado uma campanha intitulada Let's Move! Flash Workout com a Beyoncé e a primeira-dama dos Estados Unidos Michelle Obama que visa combater a obesidade infantil.[357] O evento convida os alunos do ensino médio em todo o Estados Unidos a participar de uma rotina pré-coreografada de exercícios de dança intitulado Let's Move!.[357] Para ajudar na campanha Beyoncé regravou a música "Get Me Bodied" do seu segundo álbum B'Day e a renomeou de "Move Your Body".[358]

Beyoncé começou um relacionamento com Jay-Z após sua colaboração em "'03 Bonnie & Clyde",[359] que apareceu em seu sétimo álbum The Blueprint²: The Gift & the Curse (2002).[360] Beyoncé apareceu como namorada de Jay-Z no videoclipe da música, alimentando especulações sobre seu relacionamento.[361] Em 4 de abril de 2008, Beyoncé e Jay-Z se casaram sem publicidade.[362] Até abril de 2014, o casal já havia vendido juntos um total de 300 milhões de álbuns e singles.[363] Eles são conhecidos por seu relacionamento privado, embora tenham se exposto mais na mídia nos últimos anos.[364]

Beyoncé sofreu um aborto espontâneo por volta de 2010 ou 2011, descrevendo-o como "a coisa mais triste" que ela já sofreu.[365] Ela voltou ao estúdio e escreveu música para lidar com a perda. Em abril de 2011, Beyoncé e Jay-Z viajaram para Paris para gravar a capa do álbum 4 e, inesperadamente, ficaram grávidos em Paris.[366] Em agosto, o casal participou do MTV Video Music Awards de 2011, no qual Beyoncé cantou "Love on Top" e terminou a performance revelando que estava grávida.[367] Sua aparição ajudou o MTV Video Music Awards a se tornar a transmissão mais assistida da história da MTV, atraindo 12,4 milhões de telespectadores;[368] o anúncio foi listado no Guinness World Records para "a maioria dos tweets por segundo registrado por um único evento" no Twitter,[369] receber 8 868 tweets por segundo[370] e "Beyonce grávida" foi o termo mais pesquisado no Google a semana de 29 de agosto de 2011.[371] Em 7 de janeiro Em 2012, Beyoncé deu à luz uma filha, Blue Ivy Carter, no Hospital Lenox Hill, em Nova York.[372]

Em 1 de fevereiro de 2017, ela revelou em sua conta no Instagram que estava esperando gêmeos. Seu anúncio ganhou 6 335 571 "curtidas" em oito horas, quebrando o recorde mundial da imagem mais apreciada no site na época.[373] Em 13 de julho de 2017, Beyoncé postou a primeira imagem de si mesma e dos gêmeos para sua conta no Instagram, confirmando a data de nascimento como um mês antes, em 13 de junho de 2017 e os nomes Rumi e Sir Carter.[374] Os gêmeos nasceram no Ronald Reagan UCLA Medical Center, na Califórnia. Rumi, a filha, nasceu antes de Sir o filho.

Beyoncé cantou "America the Beautiful" na inauguração presidencial de 2009, bem como "At Last" durante a primeira dança inaugural no Neighborhood Ball dois dias depois.[375] Eles realizaram um arrecadação de fundos em Jay-Z Clube de 40/40 em Manhattan para 2012 campanha presidencial de Obama[376] que levantou 4 milhões de dólares.[377] Na eleição presidencial de 2012, Beyoncé votou a favor de Obama.[378] Ela cantou o hino nacional americano em sua segunda posse em janeiro de 2013.[379] O The Washington Post informou em maio de 2015, que Beyoncé participou de uma grande arrecadação de celebridades para a candidata presidencial de 2016, Hillary Clinton.[380] Ela também encabeçou Hillary Clinton em um concerto de 2016, realizado no fim de semana antes do dia da eleição. Nesta performance, Beyoncé e seu séquito de dançarinos de apoio usavam terninhos; uma clara alusão à freqüente vestimenta de Clinton. Os dançarinos de apoio também usavam camisetas escrito "Estou com ela", o slogan de campanha de Clinton. Em um breve discurso nesta performance, Beyoncé disse: "Eu quero que minha filha cresça vendo uma mulher liderar nosso país e sabendo que suas possibilidades são ilimitadas".[381]

Em 2013, Beyoncé declarou em uma entrevista à Vogue que se considerava "uma feminista moderna".[382] Ela mais tarde se alinharia mais publicamente com o movimento, provando "Nós todos devemos ser feministas", um discurso proferido pela autora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie em uma palestra no TEDx em abril de 2013, em sua música "Flawless", lançado mais tarde. ano.[383] Em 2014, ela se apresentou ao vivo no MTV Video Awards em frente a um cenário gigante de leitura "FEMINISTA".[384] Ela também contribuiu para a campanha de Ban Bossy , que usa televisão e mídia social para incentivar a liderança em meninas.[385] Após a identificação pública de Beyoncé como feminista, a natureza sexualizada de suas performances e o fato de que ela defendeu seu casamento foi questionada.[386]

Beyoncé endossou publicamente o casamento entre pessoas do mesmo sexo em 26 de março de 2013, após o debate na Suprema Corte sobre a Proposição 8 da Califórnia.[387] Beyoncé falou contra a Lei de Privacidade e Segurança de Instalações Públicas da Carolina do Norte, uma lei aprovada (e posteriormente revogada) que discriminava a comunidade LGBT em locais públicos em um comunicado durante seu concerto em Raleigh como parte da Excursão Mundial Formation World Tour em 2016.[388] Ela também condenou a brutalidade policial contra os negros americanos. Beyoncé e Jay-Z participaram de uma manifestação em 2013 em resposta à absolvição de George Zimmerman pelo tiroteio de Trayvon Martin.[389] O filme de seu sexto álbum Lemonade incluiu as mães de Trayvon Martin, Michael Brown e Eric Garner, segurando fotos de seus filhos no vídeo de Freedom".[390] Em uma entrevista de 2016 para a Elle, Beyoncé respondeu à controvérsia em torno de sua música "Formation", que foi vista como crítica a polícia. Ela esclareceu: "Eu sou contra a brutalidade policial e injustiça. Essas são duas coisas separadas. Se celebrar minhas raízes e cultura durante o Mês da História Negra deixou alguém desconfortável, esses sentimentos estavam lá muito antes de um vídeo e muito antes de mim".[391]

Em fevereiro de 2017 Beyoncé falou contra a retirada de proteções para estudantes transexuais em escolas públicas pela administração presidencial de Donald Trump. Publicando um link para a campanha 100 Days of Kindness em sua página no Facebook, Beyoncé expressou seu apoio aos jovens transgênero e se juntou a uma lista de celebridades que se pronunciaram contra a decisão de Trump.[392]

A revista Forbes começou a relatar os lucros de Beyoncé em 2008, calculando que os 80 milhões de dólares ganhos entre junho de 2007 e junho de 2008, por sua linha de música, turnê, filmes e roupas fizeram dela a música mais bem paga do mundo, acima de Madonna e Celine Dion.[393][394] Eles a colocaram em quarto lugar na lista de 100 mais ricas celebridades em 2009[395] e em nono na lista "Mulheres mais poderosas do mundo" em 2010.[396] No ano seguinte, a Forbes a colocou em oitavo lugar na lista de "Celebridades mais bem pagas", tendo ganhado $35 milhões no ano passado para sua linha de roupas e promoções de endosso. Em 2012, a Forbes colocou Beyoncé no número 16 na lista das 100 celebridades, doze lugares abaixo do que tinha estado três anos antes, mas ainda assim ganhou 40 milhões de dólares no ano passado em seu álbum 4, linha de roupas e ofertas de endosso.[397][398] In the same year, Beyoncé and Jay-Z placed at number one on the "World's Highest-Paid Celebrity Couples", for collectively earning $78 million.[399] No mesmo ano, Beyoncé e Jay-Z ficaram em primeiro lugar no "Casais da celebridade com os melhores cupons do mundo", ganhando coletivamente 78 milhões de dólares.[399] O casal chegou ao Guinness World Records do ano anterior como o "casal de maior poder aquisitivo" por faturar 122 milhões de dólares em 2009.[400] Para os anos de 2009 a 2011, Beyoncé ganhou uma média de 70 milhões de dólares por ano, e 40 milhões em 2012.[401] Em 2013, o apoio da Beyoncé à Pepsi e à H&M fez dela e de Jay-Z o primeiro casal bilionário do mundo na indústria da música.[402] Naquele ano, Beyoncé foi publicada como a quarta celebridade mais poderosa no ranking da Forbes.[403]

A MTV estimou que até o final de 2014, Beyoncé se tornaria o músico negro mais bem pago da história;[404] isso se tornou fato em abril de 2014.[405] Em junho de 2014, Beyoncé ficou em primeiro lugar na lista de 100 Celebridades Mais Ricas, ganhando cerca de 115 milhões de dólares durante junho de 2013 a junho de 2014. Esta foi a primeira vez que ela tinha liderado a lista das 100 Celebridades, além de ser seu maior salário anual até o momento.[406] Em 2016, Beyoncé ficou no 34º lugar na lista de 100 Celebridades, com ganhos de 54 milhões de dólares. A própria autora e Jay-Z também lideraram a lista de casais de celebridades mais bem pagas, com ganhos combinados de 107,5 milhões de dólares.[407] Em maio de 2017, a Forbes calculou seu patrimônio líquido em 350 milhões de dólares e, em junho do mesmo ano, classificou-a como a segunda celebridade mais lucrativa, com ganhos anuais de 105 milhões de dólares. Isso igualou Beyoncé a Madonna como as duas únicas artistas femininas a ganhar mais de 100 milhões de dólares num único ano duas vezes.[408] Enquanto casal com Jay-Z, eles têm um patrimônio líquido combinado de 1160 milhões de dólares.[409] Em julho de 2017, a Billboard anunciou que Beyoncé foi o músico mais bem pago de 2016, com um total estimado de 62,1 milhões de dólares.[410]

No The New Yorker, a crítica musical Jody Rosen descreveu Beyoncé como "o músico popular mais importante e convincente do século XXI ..... o resultado, o ponto final lógico, de um século a mais do pop".[411] Quando o The Observer a nomeou artista da década, Llewyn-Smith escreveu:

Em 2013 Beyoncé culminou a lista Time 100, com Baz Luhrmann escrevendo:

Em 2014 Beyoncé foi listada novamente na Time e também apareceu na capa da edição.[414]

O trabalho de Beyoncé influenciou inúmeros artistas, incluindo Britney Spears,[415] Adele,[416] Ariana Grande,[417][418] Lady Gaga,[419] Ellie Goulding,[420] Rihanna,[421] Kelly Rowland,[422][423] Sam Smith,[424] Nicole Scherzinger,[425] Jessica Sanchez,[426] Cheryl,[427] JoJo,[428] Meghan Trainor,[429] Grimes,[430][431] Rita Ora,[432] Zendaya,[433] Alexis Jordan,[434] Bridgit Mendler,[435] e Azealia Banks.[436] A banda de indie rock americano White Rabbits também citou sua inspiração para seu terceiro álbum Milk Famous (2012),[437] a amiga Gwyneth Paltrow[438] estudou Beyoncé em seus shows ao vivo enquanto aprende a se tornar um artista musical para o filme Country Strong de 2010.[439]

Sheldon Pearce, da Pitchfork, notou sua contribuição em mudar o som da rádio pop music com seu estilo hip-hop assistido, escrevendo:

Sua fluência no hip-hop deu-lhe uma vantagem na corrida armamentista da pop star, ajudando-a a se tornar a voz que preside em uma paisagem musical cada vez mais dominada pelo rap. Sua evolução, da estrela de R&B adjacente ao rap (aparecendo em 1998 em um vídeo de Geto Boys) a um relutante acionista de hip-hop a um rapper, desempenhou um papel em mudar lentamente o som da rádio pop.[440]

Seu single de estreia, "Crazy in Love" foi nomeado o "melhor canção da década de 2000" pelo VH1,[441] pelo NME como "Melhor Trilha dos anos 00s"[442] e "Canção Pop do Século",[443] considerada pela Rolling Stone é uma das 500 melhores músicas de todos os tempos, ganhando dois prêmios Grammy e é um dos singles mais vendidos de todos os tempos, com cerca de 8 milhões de cópias. O videoclipe de "Single Ladies (Put a Ring on It)", que alcançou a fama por sua intrincada coreografia[444] e sua implantação de mãos de jazz,[445] foi creditado pelo Toronto Starcomo tendo começado a "primeira grande mania de dança do novo milênio e da Internet",[446] provocando uma série de paródias da coreografia de dança[447][448] e uma legião de imitadores amadores no YouTube.[444][447] Em 2013, Drake lançou um single intitulado "Girls Love Beyoncé", que contou com uma interpolação de "Say My Name" do Destiny Child e discutiu seu relacionamento com as mulheres.[449] Em janeiro de 2012, o cientista Bryan Lessard deu o nome à espécie Scaptia beyonceae, uma espécie de mosca-cavalo encontrada no norte de Queensland, na Austrália, inspirado por Beyoncé, devido aos pelos dourados da mosca em seu abdômen.[450] Em julho de 2014, uma exposição de Beyoncé foi introduzida na seção "Legends of Rock" do Rock and Roll Hall of Fame. O collant preto do vídeo "Single Ladies" e sua roupa da performance no intervalo do Super Bowl estão entre as várias peças guardadas no museu.[451] Arquitetos creditam a aparência de Beyoncé em seu videoclipe de "Ghost" como inspiração para o design da Premier Tower em construção na Austrália.[452]

1959: "Volare" – Domenico Modugno
1960: "The Battle of New Orleans" – Jimmy Driftwood
1961: "Theme from Exodus" – Ernest Gold
1962: "Moon River" – Johnny Mercer & Henry Mancini
1963: "What Kind of Fool Am I?" – Leslie Bricusse & Anthony Newley
1964: "Days of Wine and Roses" – Johnny Mercer & Henry Mancini
1965: "Hello, Dolly!" – Jerry Herman
1966: "The Shadow of Your Smile" – Paul Francis Webster & Johnny Mandel
1967: "Michelle" – John Lennon & Paul McCartney
1968: "Up, Up and Away" – Jimmy Webb
1969: "Little Green Apples" – Bobby Russell
1970: "Games People Play" – Joe South
1971: "Bridge over Troubled Water" – Paul Simon
1972: "You've Got a Friend" – Carole King
1973: "The First Time Ever I Saw Your Face" – Ewan MacColl
1974: "Killing Me Softly with His Song" – Norman Gimbel & Charles Fox
1975: "The Way We Were" – Alan e Marilyn Bergman & Marvin Hamlisch
1976: "Send in the Clowns" – Stephen Sondheim
1977: "I Write the Songs" – Bruce Johnston
1978: "Evergreen" – Barbra Streisand & Paul Williams / "You Light Up My Life" – Joe Brooks
1979: "Just the Way You Are" – Billy Joel
1980: "What a Fool Believes" – Kenny Loggins & Michael McDonald
1981: "Sailing" – Christopher Cross
1982: "Bette Davis Eyes" – Donna Weiss & Jackie DeShannon
1983: "Always on My Mind" – Johnny Christopher, Mark James & Wayne Carson
1984: "Every Breath You Take" – Sting
1985: "What's Love Got to Do with It" – Graham Lyle & Terry Britten
1986: "We Are the World" – Michael Jackson & Lionel Richie
1987: "That's What Friends Are For" – Burt Bacharach & Carole Bayer Sager
1988: "Somewhere Out There" – James Horner, Barry Mann & Cynthia Weil
1989: "Don't Worry, Be Happy" – Bobby McFerrin
1990: "Wind Beneath My Wings" – Larry Henley & Jeff Silbar
1991: "From a Distance" – Julie Gold
1992: "Unforgettable" – Irving Gordon
1993: "Tears in Heaven" – Eric Clapton & Will Jennings
1994: "A Whole New World" – Alan Menken & Tim Rice
1995: "Streets of Philadelphia" – Bruce Springsteen
1996: "Kiss from a Rose" – Seal
1997: "Change the World" – Gordon Kennedy, Wayne Kirkpatrick & Tommy Sims
1998: "Sunny Came Home" – Shawn Colvin & John Leventhal
1999: "My Heart Will Go On" – James Horner & Will Jennings
2000: "Smooth" – Itaal Shur & Rob Thomas

2001: "Beautiful Day" – Adam Clayton, David Evans, Laurence Mullen & Paul Hewson
2002: "Fallin'" – Alicia Keys
2003: "Don't Know Why" – Jesse Harris
2004: "Dance with My Father" – Richard Marx & Luther Vandross
2005: "Daughters" – John Mayer
2006: "Sometimes You Can't Make It on Your Own" – Adam Clayton, David Evans, Laurence Mullen & Paul Hewson
2007: "Not Ready to Make Nice" – Emily Burns Erwin, Martha Maguire, Natalie Maines Pasdar & Dan Wilson
2008: "Rehab" – Amy Winehouse
2009: "Viva la Vida" – Guy Berryman, Jonathan Buckland, William Champion & Christopher Martin
2010: "Single Ladies (Put a Ring on It)" – Thaddis Harrell, Beyoncé Knowles, Terius Nash & Christopher Stewart
2011: "Need You Now" – David Haywood, Josh Kear, Charles Kelley & Hillary Scott
2012: "Rolling in the Deep" – Adele Adkins & Paul Epworth
2013: "We Are Young" – Jack Antonoff, Jeff Bhasker, Andrew Dost & Nate Ruess
2014: "Royals" – Joel Little & Ella Yelich-O'Connor
2015: "Stay with Me" (Darkchild version) – James Napier, William Phillips & Sam Smith
2016: "Thinking Out Loud" – Ed Sheeran & Amy Wadge
2017: "Hello" – Adele Adkins & Greg Kurstin
2018: "That's What I Like" – Christopher Brody Brown, James Fauntleroy, Philip Lawrence, Bruno Mars, Ray Charles McCullough II, Jeremy Reeves, Ray Romulus & Jonathan Yip
2019: "This Is America" – Donald Glover & Ludwig Göransson
2020: "Bad Guy" – Billie Eilish & Finneas O'Connell
2021: "I Can't Breathe" – Dernst Emile II, H.E.R. & Tiara Thomas
2022: "Leave the Door Open" – Brandon Anderson, Christopher Brody Brown, Dernst Emile II & Bruno Mars

Visão panorâmica de Houston, Estados Unidos, cidade natal de Beyoncé.
A formação final do Destiny's Child se apresentando durante a turnê de 2005, Destiny Fulfilled ... And Lovin' It.
Uma mulher morena é dançar e detém um microfone com a mão. Ela veste roupas escuras enquanto segura as mãos na frente do peito.
Beyoncé performando "Baby Boy" durante a The Beyoncé Experience Tour em 2007.
Beyoncé cantando sua versão da música "Dangerously in Love".
Estrela do grupo Destiny's Child na calçada da fama.
Beyoncé cantando "Listen" música inspirada no seu papel no filme Dreamgirls.
Beyoncé se apresentando durante a I Am... World Tour.
Beyoncé cantando a música "If I Were a Boy" na cidade do Rio de Janeiro, Brasil.
Beyonce em 2011.
O som de Beyoncé tornou-se mais suave com o álbum 4 de 2011, que se concentrou em estilos tradicionais de R&B. Ela cantou o álbum durante os shows de 4 Intimate Nights with Beyoncé em agosto de 2011.
Beyoncé se apresentando durante a The Mrs. Carter Show World Tour em 2013. A turnê é uma das turnês de maior bilheteria da década.
Beyoncé se apresenta ao lado de Bruno Mars no show de intervalo do NFL Super Bowl 50 em fevereiro de 2016.
Beyoncé se apresentando durante a The Formation World Tour em 2016. A turnê arrecadou US$ 256 milhões em 49 shows esgotados.
Beyoncé na estreia de seu filme Dreamgirls de 2006.
Beyoncé segurando um dos três prêmios que ganhou no MTV Video Music Awards de 2009.
As principais influências de Beyoncé incluem Michael Jackson (esquerda) e Tina Turner (direita).
Beyoncé cantando a música "Flaws and All" durante uma apresentação em Barcelona, Espanha.
Beyoncé e a sua banda feminina Suga Mama durante uma apresentação da turnê The Beyoncé Experience em 2007.
Beyoncé durante sua apresentação em 2009 no Pavilhão Atlântico, em Lisboa.
Beyoncé cantando a música "Smash into You" na cidade de Florianópolis, Brasil.
Beyoncé cantando a música "Smash into You" na cidade do Rio de Janeiro, Brasil.
Logótipo da linha de roupas House of Deréon.
Imagem de uma modelo segurando o perfume Heat de Beyoncé no seu lançamento no Brasil.
Beyoncé durante o lançamento do perfume do cantor Usher em 2007.
Beyoncé na inauguração do Beyoncé Cosmetology Center em março de 2010.
Uma mulher está ao lado de um homem que está executando usando um microfone
Beyoncé performando na I Am... Tour com Jay-Z, com quem ela casou em 2008
Beyoncé durante o show do intervalo Super Bowl XLVII.