Copa do Mundo FIFA de 2022

Páginas para editores sem sessão iniciada saber mais

A Copa do Mundo FIFA de 2022 (português brasileiro) ou o Campeonato Mundial de Futebol FIFA de 2022 (português europeu) é a vigésima segunda edição desse evento esportivo, um torneio internacional de futebol masculino organizado pela Federação Internacional de Futebol (FIFA), que está ocorrendo no Catar. Esta edição é a primeira realizada no Oriente Médio, e é a última a ter o formato de 32 equipes, pois haverá uma mudança no formato e número de equipes na edição seguinte, a de 2026, cujos países-sedes serão Canadá, Estados Unidos e México, passando para 48 equipes.

Com sete cidades-sede, o campeonato está sendo disputado entre 20 de novembro e terminará em 18 de dezembro, ao invés do período tradicional devido às altas temperaturas que o país sofre no meio do ano; esta é a primeira vez em que uma Copa do Mundo é disputada no final do ano.[1][2]

Acusações de corrupção foram feitas após o Catar ganhar o direito de sediar o campeonato. A FIFA realizou uma investigação interna sobre estas alegações e absolveu o Catar de qualquer crime cometido.[3] Em 27 de maio de 2015, promotores federais suíços abriram uma investigação sobre corrupção e lavagem de dinheiro nas eleições das cidades-sede das edições de 2018 e 2022.[4][5]

Em 7 de junho de 2015, foi anunciado que o Catar poderia perder o direito de sediar o campeonato, após denúncias de suborno. De acordo com Domenico Scala, representante da auditoria da FIFA, as denúncias surgiram após a divulgação do resultado da votação de eleição da cidade-sede.[6] Porém, nenhum indício foi comprovado e o Catar foi confirmado como sede desta edição.[7]

O Catar sofreu diversas críticas sobre as condições dos trabalhadores dos novos estádios para a competição, sendo que a Anistia Internacional referiu-se como trabalho escravo a situação dos trabalhadores que sofriam abusos de direitos humanos, violando diversas regras da instituição.[8]

A FIFA apresentou o mascote oficial da Copa do Mundo de 2022, denominado La'eeb, um lenço de cabeça masculino tradicional da cultura árabe. Segundo a FIFA, a palavra La'eeb significa jogador habilidoso em árabe.[9]

Pela primeira vez na história da Copa do Mundo, o país-sede do mundial inicia a competição com derrota, uma vez que o Catar foi superado num placar de 2x0 contra a seleção do Equador. Conforme a tradição, o anfitrião sempre estreia com vitória ou com empate.[10] Além disso, também se tornou o segundo organizador a não avançar para as oitavas de final desde a África do Sul em 2010.[11]

O Catar decidiu apresentar a sua candidatura apenas para 2022. Com apenas 1,6 milhão de habitantes, o país pretendeu ser a primeira nação do Oriente Médio a receber tal competição, tentando aproximar os mundos ocidentais e orientais.[12][13]

Uma das preocupações da candidatura foram as temperaturas muito elevadas que se registram naquele país. A Copa do Mundo sempre foi realizada entre junho e julho, exatamente o período de recesso das ligas europeias. Nesse período de tempo, as temperaturas ultrapassam facilmente os 40 graus celsius, nunca baixando para menos de 30 graus celsius.[14][15] O sheik Mohammed bin Hamad bin Khalifa al-Thani, autoridade responsável pela candidatura de 2022, afirmou que está em curso a introdução de uma tecnologia dentro dos estádios de modo a conseguir baixar as temperaturas em cerca de 20 graus celsius.[16]

O então presidente da FIFA, na época Joseph Blatter, admitiu apoiar a ideia de um país do Oriente Médio receber a competição, tendo afirmado que a região merece ser anfitriã, já que 22 países da região nunca tiveram uma oportunidade concreta de receber um torneio deste tamanho. Blatter elogiou que ficou surpreso com a evolução da então candidatura e reiterou que o país já mostrou ser capaz de organizar tal competição, quando sediou com sucesso os Jogos Asiáticos de 2006.[17]

O processo de escolha para as sedes das edições de 2018 e 2022 iniciou em janeiro de 2009, e as associações interessadas tinham até 2 de fevereiro de 2009 para enviar a documentação necessária.[18] Inicialmente, onze propostas foram recebidas pela FIFA, porém o México decidiu desistir do processo,[19][20] e a candidatura da Indonésia foi rejeitada pela FIFA em fevereiro de 2010, após a Associação de Futebol da Indonésia não apresentar uma carta de garantia do governo indonésio para apoiar a candidatura.[21]

No final, havia cinco propostas para a competição, a Austrália, Catar, Coreia do Sul, Estados Unidos e Japão. Os membros do Comitê Executivo da FIFA se reuniram em Zurique em 2 de dezembro de 2010 para votar e selecionar as sedes das duas edições.[22] Dois membros foram suspensos antes da votação após alegações de corrupção em relação aos seus votos.[23]

A vitória do Catar foi classificada como tendo alto risco operacional pela mídia estadunidense, australiana e britânica.[24][25] Foi severamente criticada após os escândalos de corrupção na FIFA.[26] O Catar é o menor país em área e população que irá sediar uma Copa do Mundo FIFA, superando a Suíça, que havia sediado em 1954.[27]

Trinta e duas seleções participam na competição, e a catarense não precisou disputar eliminatórias por ser a anfitriã. A distribuição das vagas pelas confederações continentais foi divulgada pelo Comitê Executivo da FIFA em maio de 2015, sem alterações em relação à edição anterior. A princípio a União das Federações Europeias de Futebol (UEFA) reiterava mais uma vaga para o continente europeu, porém a FIFA não cedeu e manteve inalterada a divisão das vagas. Assim, continuaram treze vagas para a UEFA, cinco para a CAF, quatro para a CONMEBOL, quatro para a AFC (sem incluir a vaga do anfitrião Catar) e três para a CONCACAF. Além disso, a repescagem intercontinental ocorre entre uma seleção da AFC e da CONCACAF e outra entre uma da CONMEBOL e da OFC, que não possui vaga garantida direta ao mundial.

Em 17 de dezembro de 2020, o CAS (Tribunal Arbitral do Esporte), anunciou que a Rússia estaria proibida de usar sua bandeira ou hino em qualquer evento esportivo pelos próximos dois anos, em razão da condenação por escândalos envolvendo a WADA (Agência Mundial Antidoping). Com isso, o país está proibido de usar seu nome durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Verão de 2021, as Eliminatórias da Copa de 2022, Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Inverno de 2022 e a Copa do Mundo de 2022. Nesse caso, a Seleção Russa de Futebol, se classificada, deverá usar uniformes sem referência ao país e ser tratada como "seleção neutra".[28][29] Em 22 de fevereiro de 2022, durante a crise na Ucrânia, a seleção da Polônia anunciou que não iria jogar em território russo na repescagem das Eliminatórias.[30] No dia 24, em meio as tensões da Invasão da Ucrânia pela Rússia, as seleções da Suécia e Chéquia também anunciaram que não pretendiam jogar as partidas da repescagem em solo russo, se recusando a participar dos jogos se caso fossem mantidos nesse território e de jogar com a seleção russa.[31] Logo em seguida, a seleção da Inglaterra anunciou o mesmo posicionamento, se estendendo as outras competições como Campeonato Europeu e Liga das Nações.[32] No dia 27, a FIFA anunciou o banimento[33] da Rússia por tempo indeterminado, sendo proibida de usar o nome, hino, camisa e de sediar os próximos torneios. A seleção ainda pode participar das Eliminatórias e da Copa, se classificada, mas usando o nome União Russa de Futebol (RFU) e de maneira neutra, algo semelhante a postura adotada nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Verão e Inverno de 2020 e 2022. Caso os jogos aconteçam no país, eles devem ocorrer em estádios neutros e de portões fechados.[34] No dia 28, a FIFA em uma reunião extraordinária e atendendo a pressão de países como Suécia, Polônia, Chéquia e Inglaterra, decide desclassificar a Rússia da Copa de 2022, alterando os confrontos em que o país estaria presente nas Eliminatórias.[35]

Após a entrada de novos membros, todas as 211 nações filiadas à FIFA inscreveram-se para participar das eliminatórias.[36]

As cinco primeiras sedes propostas para a edição foram reveladas no início de março de 2010. A ideia é que os estádios reflitam os aspectos históricos e culturais do Catar, e cada estádio visa incorporar quatro prioridades: legado, conforto, acessibilidade e sustentabilidade.[64] O Catar pretende construir estádios[65] com os mais altos padrões ambientais e de sustentabilidade, que serão equipados com sistemas de refrigeração ecologicamente corretos, buscando reduzir as temperaturas dentro do estádio em até 20°C (36°F). O objetivo é construir estádios usando materiais ecológicos, equipamentos inofensivos e soluções ecologicamente sustentáveis ​​por meio da implementação de soluções renováveis ​​e de baixo consumo de energia, além de que as camadas superiores dos estádios serão desmontadas após a Copa do Mundo e doadas a países com infraestrutura esportiva menos desenvolvida.[66][67] O Catar busca ser compatível e certificado pelo Global Sustainability Assessment System (GSAS) em todos os estádios do torneio. Todos os cinco projetos de estádios lançados foram projetados pelo escritório de arquitetura alemão Albert Speer & Partners.[68]

Um relatório divulgado em 9 de dezembro de 2010 citou o presidente da FIFA, Joseph Blatter, afirmando que outros países poderiam sediar alguns jogos da Copa do Mundo. No entanto, nenhum país específico foi nomeado no relatório.[69] Blatter acrescentou que qualquer decisão desse tipo deve ser tomada primeiro pelo Catar e depois endossada pelo comitê executivo da FIFA.[70] O príncipe Ali bin Al-Hussein da Jordânia disse a Australian Associated Press que realizar jogos no Bahrein, Emirados Árabes Unidos e na Arábia Saudita ajudaria a integrar o povo da região durante o torneio.[71]

Em janeiro de 2019, o presidente da FIFA Gianni Infantino divulgou um relatório preliminar com as oito sedes já confirmadas para o evento, ressaltando a possibilidade de aumento ou diminuição deste número.[72]

Em 21 de novembro de 2022 foi divulgado pela FIFA a capacidade dos oito estádios sedes.[73]

O sorteio final para a fase de grupos foi realizado em 1.º de abril de 2022, em Doha.[82][83] Para o sorteio, as equipes foram distribuídas em quatro potes, com base na colocação do Ranking Mundial da FIFA de março de 2022. O pote 1 terá o Catar (país sede, teve a posição A1) e as sete melhores equipes, e assim por diante nos potes 2 a 4. No pote 4, especialmente, também incluía o último vencedor da repescagem europeia que foi adiada para o dia 5 de junho por causa da invasão da Rússia à Ucrânia, e também os vencedores dos play-offs intercontinentais disputados em 13 e quartoze de junho.[84]

As seleções classificadas para a Copa do Mundo de 2022, poderão convocar 26 jogadores para a disputa do torneio — anteriormente, cada time podia chamar 23 atletas. A Copa do Mundo de 2022 também terá número de substituições ampliado, seguindo a regra criada durante a pandemia de COVID-19. Ao todo, os times poderão fazer cinco mudanças no tempo normal, mais uma na prorrogação.

Vale lembrar que, na Copa do Mundo de 2018, ainda eram permitidas apenas as três substituições tradicionais.[86]

A International Football Association Board (Ifab), entidade que controla as regras do futebol, anunciou na quarta-feira, 22 de junho, mudanças nas normas do esporte. Entre elas, estão o aumento do número de jogadores que podem ficar no banco de reservas em cada partida, de 12 para 15 atletas — possibilitando, assim, que todos os 26 convocados de cada seleção estejam disponíveis nos jogos da Copa do Mundo de 2022.[87]

Em 19 de maio de 2022, a FIFA anunciou a lista de 36 árbitros e 69 árbitros assistentes e 24 árbitro assistente de vídeo para o torneio.[88][89] A FIFA anunciou na sexta-feira, 1.º de junho de 2022, que vai utilizar uma nova tecnologia para auxiliar árbitros de campo e responsáveis pelo VAR (videoárbitro) na Copa do Mundo. O impedimento semiautomático tem como propósito diminuir o tempo de análise em lances ajustados e promover decisões mais rápidas por parte da arbitragem.

Para que isso aconteça, as bolas usadas contarão com um sensor no centro da sua estrutura que mandará um sinal cerca de 500 vezes por segundo, permitindo saber o exato momento do contato do pé do atleta em um passe ou chute. Além disso, os estádios contarão com 12 câmeras que rastrearão cada jogador e irão enviar um sinal para o mesmo sistema 50 vezes por segundo, mostrando 29 possíveis pontos de contato do corpo com a bola.[90]

Os acampamentos base serão usados ​​pelas 32 seleções nacionais para ficar e treinar antes e durante a Copa do Mundo. Em 27 de julho de 2022, a FIFA anunciou os hotéis e locais de treinamento para cada equipe participante.[91][92] Esta Copa do Mundo é a mais compacta desde a edição inaugural em 1930, pois 24 das 32 equipes estão em um raio de 10 km uma da outra e estão concentradas em a área de Doha. É também a primeira parcela desde 1930 em que os jogadores não precisarão pegar voos para as partidas, podendo permanecer na mesma base de treinamento durante todo o torneio.[93][94]

A cerimônia de abertura aconteceu no domingo, 20 de novembro de 2022, no estádio Al Bayt (Al Khor), antes da partida de abertura entre o anfitrião Qatar e Equador. Depois de danças e camelos vivos numa linda apresentação, o ator Morgan Freeman e o influenciador Ghanim Al Muftah fizeram um discurso sobre a inclusão em meios às críticas sobre desrespeito aos direitos humanos no Catar[95]. Logo após mascotes das outras edições dos Mundiais foram lembrados, assim como algumas músicas temas, Waka Waka da cantora Shakira, que foi uma das canções mais festejadas pelos torcedores.[96] O último a aparecer foi o mascote desta edição: o La'eeb, que possui formato dos tradicionais lenços árabes e, seu nome significa "jogador super habilidoso".

As atrações musicais ficaram por conta do cantor Jeon Jung-kook da banda sul-coreana de K-Pop BTS e do cantor catari Fahad Al Kubaisi que também é embaixador da Copa. A cantora Dua Lipa que estava sendo especulada para se apresentar no evento negou seu envolvimento "em qualquer negociação a ser realizada", denunciando o Catar por suas violações de direitos humanos. Antes do encerramento teve mais um discurso, do Emir do Catar o Tamim bin Hamad al-Thani, que em meio a criticas sobre o país desde a escolha para ser sede da Copa do Mundo sobre respeito as mulheres, pessoas LGBT e migrantes que trabalharam para o evento ele disse que "Recebemos a todos de braços abertos na Copa do Mundo 2022. Nós trabalhamos e fizemos muitos esforços para garantir o sucesso desta edição."[97] Após o discurso deu como se encerrado a abertura e logo após ocorreu o primeiro jogo da copa.

O calendário de jogos foi confirmado pela FIFA em 15 de julho de 2020.[98] A partida de abertura, Catar × Equador; será disputada no Estádio Al Bayt no dia 20 de novembro de 2022, às 19h[99] (UTC+3, Catar possui três horas à frente do horário universal, do Meridiano de Greenwich; transmitido em Portugal às 16h UTC 0; transmitido no Brasil às 13h UTC−3).[100][101] Durante a fase de grupos, quatro partidas serão disputadas por dia, com horários de início às 13hs, 16hs, 19hs e 22hs para as duas primeiras rodadas, e 18hs e 22hs para as partidas simultâneas da última rodada e para as partidas da fase final. A disputa pelo terceiro lugar será realizada no dia 17 de dezembro no Estádio Internacional Khalifa, e a final no dia 18 de dezembro no Estádio Nacional Lusail, ambas às 18hs.[102]

Ao contrário das edições anteriores, em que os locais e horários de início de cada jogo eram definidos antes do sorteio, a atribuição destes fatores só seria feita após o sorteio da fase de grupos. Isso foi possível devido à proximidade das instalações, o que permitiu aos organizadores otimizar a alocação do estádio para os espectadores e os horários de abertura para a audiência da televisão.[98] Os jogos da fase de grupos para cada grupo serão alocados nos seguintes estádios:

Observação: todas as partidas estão no horário local (UTC+3).

O primeiro resultado inesperado na disputa entre seleções aconteceu no dia 22 de novembro de 2022 em partida válida pela 1ª rodada do grupo C. Na ocasião, enfrentaram-se Argentina e Arábia Saudita no Estádio Lusail Iconic Stadium.

A Argentina que fez um ótimo ciclo de Eliminatórias na América do Sul, recém campeã da Copa América e campeã da Finalíssima era vista como uma das grandes potências para o título de campeã da Copa do Mundo FIFA de 2022[103].

Já a seleção da Arábia Saudita, apesar de ter se classificada em 1º lugar no seu grupo da terceira fase da Eliminatórias da Ásia, tem seu melhor desempenho em mundiais na Copa do Mundo FIFA de 1998 da França, quando chegou às oitavas de final. Naquela ocasião, foi derrota para a seleção sueca por 3 a 1.

Antes desse jogo as duas seleções já haviam se enfretado outras duas vezes (em 1992 e 2012). Em 2012, em amistoso internacional, empataram em 0 a 0. Desses confrontos, o de 1992 é o mais emblemático, pois os dois times se enfrentaram na decisão da Copa Rei Fahd de 1992 que foi realizada na Arábia Saudita. A seleção saudita foi derrotada por 3 a 1 dentro de sua casa.

O público de 88.012 espectadores viu Lionel Messi abrir o placar para o time argentino aos 10 minutos de jogo numa cobrança de pênalti[104]. Esse mesmo público viu também 3 gols argentinos serem anulados por impedimento antes do fim do 1º tempo[105].

Na volta do intervalo, aos 48 minutos, para a surpresa de todos, Firas Al-Buraikan aciona Saleh Al-Shehri, que faz uma bela jogada e acerta o gol do time argentino e empata o jogo para a seleção da Arábia Saudita.[106]

Poucos minutos depois, aos 53 minutos, o time saudita marca o segundo gol numa demonstração de muita habilidade de Salem Al-Dawsari.[107] Com esse gol, a Arábia Saudita garantiu um feito histórico, tanto que o Governo Saudita decretou feriado nacional no dia seguinte à vitória da Argentina.[108]

Na Argentina, os torcedores e os principais jornais esportivos não pouparam críticas ao desempenho do time argentino.[109]

A Argentina estava há 36 partidas consecutivas sem perder. Se o resultado contra a Arábia Saudita não fosse essa derrota constrangedora, o time argentino igualaria a seleção da Itália no recorde mundial de invecibilidade entre seleções[110].

Uma série de grupos e meios de comunicação expressaram preocupação com a adequação do Catar para acolher o evento[111][112] no que diz respeito à interpretação dos direitos humanos, particularmente as condições dos trabalhadores, os direitos dos torcedores da comunidade LGBT,[112][113][114][115] as condições climáticas extremas do país e as acusações de que o governo local apoia o terrorismo de forma diplomática e financeira.[116]

A escolha do Catar como país anfitrião tem sido controversa; as autoridades da FIFA foram acusadas de corrupção e de permitirem que o Catar "comprasse" a Copa do Mundo,[117] o tratamento dos trabalhadores das construções dos estádios foi questionado por grupos de direitos humanos[118] e os altos custos necessários para tornar o evento uma realidade foram criticados. As condições climáticas fizeram com que alguns chamassem de hospedagem do torneio no país de "impossível", apesar de projetos que previam estádios com ar condicionado e até a mudança da data do torneio para um período do ano que fosse menos quente. Sepp Blatter, que foi o presidente da FIFA quando o Catar foi selecionado, depois observou que escolha do Catar como a sede da Copa do Mundo foi um "erro" devido ao calor extremo.[119][120]

Em dezembro de 2017, a mídia mexicano Record acredita que a Fifa poderia retirar a organização da Copa do Mundo no Catar por causa do impacto potencial da crise diplomática de junho de 2017 entre o emirado e seus vizinhos.[121]

A questão dos direitos dos trabalhadores migrantes também atraiu a atenção, depois que uma investigação do jornal The Guardian alegou que muitos dos trabalhadores são negados alimentos e água, que seus documentos de identidade são retidos e que eles não são pagos em dia ou simplesmente não recebem salários, fazendo com que alguns deles sejam escravos. O jornal britânico estimou que até 4 000 trabalhadores podem morrer devido às falhas de segurança e outras causas quando a competição for realizada.[118] Essas reivindicações foram baseadas no fato de que 522 trabalhadores nepaleses[122] e outros 700 trabalhadores indianos[123] morreram desde o ano de 2010, quando a candidatura do Catar como anfitrião da Copa do Mundo foi conquistada. Cerca de 250 trabalhadores indianos morreram por ano,[124] mas dado que há meio milhão de trabalhadores indianos no Catar, o governo da Índia diz que é um número bastante normal de mortes.[124] No Reino Unido, em qualquer grupo de meio milhão de homens de 25 a 30 anos, uma média de 300 morrem a cada ano, uma taxa um pouco maior que entre os trabalhadores indianos no Catar.[124]

Em maio de 2015, uma equipe de quatro jornalistas da BBC foram presos por dois dias depois de terem tentado denunciar a condição dos trabalhadores no país. Os repórteres foram convidados a visitar o país como convidados do governo catariano.[125]

Em junho de 2015, o The Wall Street Journal informou que a Confederação Sindical Internacional estimou que mais de 1 200 trabalhadores haviam morrido enquanto trabalhavam em projetos imobiliários e de infraestrutura relacionados à Copa do Mundo, sem qualquer explicação do governo do Catar.[126] A BBC informou mais tarde que este número muitas vezes citado de 1 200 trabalhadores que morreram na construção da Copa do Mundo entre 2011 e 2013 não é correto e que o número de 1 200 representa as mortes de todos os indianos e nepaleses que trabalham no Catar, não apenas dos trabalhadores envolvidos na preparação para a Copa do Mundo e/ou apenas dos trabalhadores da construção civil.[124] A maioria dos nativos do Catar evita fazer trabalhos manuais ou empregos pouco qualificados; além disso, eles recebem preferência no local de trabalho.[127][128]

As alegações de corrupção nos processos de licitação para as Copas do Mundo de 2018 e 2022 causaram ameaças da The Football Association da Inglaterra para boicotar o torneio.[129] A FIFA nomeou Michael J. Garcia, advogado dos Estados Unidos, para investigar e produzir um relatório (o Relatório Garcia) sobre as alegações de corrupção. Embora o relatório nunca tenha sido publicado, a FIFA divulgou um resumo de 42 páginas de suas descobertas, conforme determinado pelo juiz alemão Hans-Joachim Eckert. O resumo de Eckert livra a Rússia e o Catar de qualquer irregularidade, mas foi denunciado pelos críticos como parcial.[130] Garcia criticou o resumo como sendo "materialmente incompleto" com "representações errôneas e conclusões dos fatos" e apelou ao Comitê de Recurso da FIFA.[131][132] O comitê se recusou a ouvir seu recurso, então Garcia renunciou em protesto contra a conduta da FIFA, citando uma "falta de liderança" e falta de confiança na independência de Eckert.[133]

Em 3 de junho de 2015, o FBI confirmou que as autoridades federais estavam investigando os processos de licitação e adjudicação para as Copas do Mundo de 2018 e 2022.[134][135] Em uma entrevista publicada em 7 de junho de 2015, Domenico Scala, chefe do Comitê de Auditoria e Cumprimento da FIFA, declarou que "deveria haver evidências de que as eleições do Catar e da Rússia aconteceram apenas por causa de votos comprados, então os escolhas poderiam ser canceladas".[6][7]

No dia 19 de novembro, nas vésperas do início do torneio, o governo catari proibiu o consumo de bebidas alcóolicas nas imediações dos estádios da Copa do Mundo, sendo permitido o consumo apenas, no Fan Fest e durante o período das 19h às 01h no horário local, e nos camarotes, porém neste, com limitações.[136] Devido a isso, a Budweiser, patrocinadora oficial do torneio, anunciou que o país campeão levará pra casa todo o estoque que estava reservado para vendas no Catar durante o torneio.

Foi proibido pela FIFA o uso de braçadeiras de capitão 'One Love' com apoio ao movimento LGBTQIA+ devido a homossexualidade ser ilegal no país.[137] Usadas com frequência por algumas seleções europeias, principalmente a Seleção Inglesa e a Seleção Alemã. Apesar da proibição, os respectivos capitães afirmaram que usariam as braçadeiras como protesto, em contrapartida, a FIFA respondeu dizendo que os atletas que fizessem esse tipo de protesto seriam punidos automaticamente com cartão amarelo. Devido a isso, a seleção inglesa, primeira a jogar após a abertura do torneio, seguiu com o protesto no início da partida contra o Irã, assim todos os jogadores ficaram de joelhos antes do apito inicial.[138] No dia 23 de novembro, a Seleção Alemã também também protestou contra o Catar, na foto oficial da partida de estréia no torneio contra o Japão, os jogadores alemães se manifestaram e taparam a boca e o capitão da equipe, o goleiro Manuel Neuer escondeu a braçadeira de capitão debaixo da camisa, devido a ter sido proibido o uso da braçadeira 'One Love'.[139]


Durante a cerimônia que definiu os grupos da Copa do Mundo FIFA de 2022 na sexta-feira (1.º), a Fifa apresentou o mascote desta edição do torneio: La'eeb. O significado do nome é "jogador super habilidoso" em árabe. O desenho do mascote é inspirado em lenços de cabeça tradicionais da cultura árabe.

A bola foi lançada em 30 de março de 2022 e é produzida pela Adidas, tendo seu nome Al Rihla; traduzido do árabe "A Jornada". Seu desenho é inspirado na cultura, arquitetura e bandeira do país anfitrião.[140]

No Brasil, os direitos de transmissão pertencem ao Grupo Globo pelas TVs aberta (TV Globo), por assinatura (SporTV), streaming (Globoplay) e rádio (CBN e Rádio Globo). No caso da segunda, será a primeira vez que transmite a Copa sozinha.[141] Em 23 de junho de 2020, o Grupo Globo entrou com um processo contra a FIFA pela suspensão imediata do pagamento de uma parcela de US$90 milhões (R$462 milhões), referente aos direitos de transmissão da Copa do Mundo FIFA de 2022. O motivo alegado foi a recessão econômica por conta da Pandemia de COVID-19.[142][143] Em 19 de março de 2021, o processo foi arquivado pela 6.ª vara empresarial do Rio de Janeiro após as duas partes chegarem a um acordo, mediante negociações.[144] Em outubro do mesmo ano, o grupo renuncia a permanência dos direitos de exclusividade de transmissão da Copa de 2022 pelas suas plataformas digitais. A renúncia ocorreu depois de tentativas de redução do valor do acordo para a transmissão do evento por meios digitais.[145] Com a renúncia da Globo pela internet, o Facebook chegou a negociar a compra dos direitos de transmissão, mas o projeto não foi adiante.[146] Faltando 16 dias para o início da Copa, o influencer Casimiro, em parceria com a produtora Livermode, anunciou a compra dos direitos de transmissão do mundial no dia 4 de novembro de 2022, em um acordo de sublicenciamento no streaming, para a cobertura no Twitch de 22 dos 64 jogos da Copa.[147] Faltando apenas 3 dias para o início do mundial, em 17 de novembro de 2022, a The Walt Disney Company adquiriu os direitos dos highlights (melhores momentos) para o streaming através do Star+.[148] O Grupo Bandeirantes de Comunicação chegou a negociar com a Globo um acordo de sublicenciamento para as transmissões da Copa no canal por assinatura BandSports. No entanto, as negociações não avançaram após a recusa da Globo em revender os direitos.[149] Apesar de não conseguir os direitos na televisão, o grupo adquiriu os mesmos para a cobertura nas rádios Band FM e BandNews FM.[150] Também transmitirão a copa pela rádio a Rede Transamérica,[151] a Jovem Pan FM[152], a Rádio Itatiaia[153], Energia 97, Rádio Gaúcha, Rádio Jornal e Super Rádio Tupi.[154]

Pela América do Sul (exceto Brasil), os direitos de transmissão foram adquiridos pela Mountrigi Management Group Limited, grupo pertencente a Televisa, mas com a revenda para emissoras locais, sendo elas a TyC Sports na Argentina, a DirecTV Sports para o Chile, Bolívia, Colômbia, Equador, Peru, Uruguai e Paraguai. No caso da Colômbia, a Caracol Televisión adquiriu os direitos para a TV aberta local. Pelos Estados Unidos, os direitos são pertencentes a Fox Broadcasting Company e Telemundo. Na Europa, a União Europeia de Radiodifusão realiza as negociações com a Fifa para transmitir os jogos também em países menores, mas com os direitos locais já sendo revendidos, sendo eles a RAI na Itália, TF1 na França, ARD na Alemanha e a BBC no Reino Unido. Pela África, a cobertura fica a cargo do SuperSport e a BelN Sports, no caso da última com as transmissões para partes da Ásia e no país sede.[155]

Essa também foi a primeira copa a contar com a transmissão de todos os jogos no serviço de streaming FIFA+, disponível no mundo todo, mas de forma gratuita no Brasil, funcionando como fase de testes.[156]

"Hayya Hayya (Better Together)" foi a primeira música oficial lançada. A divulgação da faixa coincidiu com o sorteio dos grupos do Mundial. A canção tem forte influência de reggae e R&B, e ela foi gravada pelo cantor americano Trinidad Cardona, a estrela nigeriana de afrobeat Davido, e a sensação pop catariana Aisha.[157]

"Arhbo", é a segunda música oficial da Copa do Mundo do Qatar, e é cantada pelo cantor porto-riquenho Ozuna e o rapper congolês GIMS.[158]

"Light the Sky" é a terceira música produzida para o mundial, e é interpretada por quatro cantoras famosas da cultura árabe — a emiradense Balqees, as marroquinas Nora Fatehi e Manal e a iraquiana Rahma Riad. A canção tem a produção assinada pelo cultuado produtor marroquino-sueco RedOne, multivencedor do Grammy e responsável por alguns dos maiores sucessos de Lady Gaga, como "Poker Face", "Bad Romance" e "Just Dance".[159]

Faltando dois dias para o jogo de abertura, a Fifa lançou a música-tema da Fanfest da Copa do Mundo de 2022 (quarta música), que se chama "Tukoh Taka". A canção, que reúne a rapper Nicki Minaj com Maluma e Myriam Faes, fala sobre a união de fãs de todo planeta. A música tem trechos em inglês, espanhol e árabe.[160]

A Copa do Mundo de 2022 já tem um pôster oficial, divulgado pela Fifa e pelo Comitê Organizador na quarta-feira, 15 de junho. A imagem é obra da artista Bouthayna Al Muftah e será a principal peça de divulgação do Mundial do Catar, que terá outros seis pôsteres antes de a bola rolar, entre 20 de novembro e 18 de dezembro. [161]

A FIFA divulgou que o campeão da Copa do Mundo FIFA de 2022 vai receber, como premiação pela conquista do título mundial, 42 milhões de dólares.[162] Já o país que terminar na segunda posição receberá 30 milhões de dólares. Também haverá premiações para os demais participantes, independente da posição que terminem na competição.

A Panini, empresa responsável pela elaboração do álbum de figurinhas da Copa, produz a edição de 2022 junto à FIFA para definir a identidade visual das páginas e das figurinhas. O álbum conta com 670 cromos, sendo 50 especiais e 80 raros.[163]

  Candidaturas para sediar a edição de 2018
  Candidaturas para sediar a edição de 2022
  Candidaturas canceladas
  Países inelegíveis para a edição de 2018
  Países inelegíveis para as edições de 2018 e 2022
  País classificado para a Copa do Mundo
  País eliminado nas eliminatórias
  País suspenso pela FIFA
  País não é membro da FIFA