Jô Soares

Páginas para editores conectados saiba mais

Navegação

Colaboração

Ferramentas

Imprimir/exportar

Noutros projetos

José Eugênio "Jô" Soares (Rio de Janeiro, 16 de janeiro de 1938São Paulo, 5 de agosto de 2022), foi um humorista, apresentador de televisão, escritor, dramaturgo, diretor teatral, ator e músico brasileiro. Ganhou notoriedade no comando de programas de televisão em formato talk-show no Brasil como o Jô Soares Onze e Meia entre os anos de 1988 e 1999 no SBT e o Programa do Jô entre 2000 e 2016 na Globo.[1]

A notícia de sua morte, divulgada no dia 5 de agosto, repercutiu tanto na sociedade brasileira,[2][3][4] quanto na imprensa internacional.[5]

Nascido na cidade do Rio de Janeiro, José Eugênio Soares foi o único filho do empresário paraibano Orlando Heitor Soares e da dona de casa Mercedes Pereira Leal. Pelo lado materno, foi bisneto do conselheiro Filipe José Pereira Leal, diplomata e político que, no Brasil Imperial, foi presidente da província do Espírito Santo. Por parte de seu pai, foi sobrinho-bisneto de Francisco Camilo de Holanda, presidente da província da Paraíba.[6]

Jô queria ser diplomata quando criança.[7] Estudou no Colégio de São Bento do Rio de Janeiro, no Colégio São José de Petrópolis, e em Lausana, na Suíça, no Lycée Jaccard, com este objetivo.[8] Durante a estadia na Suíça ganhou o apelido de "Joe", redutivo da versão inglesa de seu nome, Joseph, bem como referência à popular canção "Hey Joe!", de Frankie Laine. Mais tarde reduziria a Jô.[9] Porém, percebeu que o seu senso de humor apurado e a criatividade inata apontava para outra direção.[10][11]

Detentor de um talento versátil, além de atuar, dirigir, escrever roteiros, livros e peças de teatro, Jô Soares também foi um apreciador de jazz e chegou a apresentar um programa de rádio na extinta Jornal do Brasil AM, no Rio de Janeiro, além de uma experiência na também extinta Antena 1 Rio de Janeiro.

Entre 1959 e 1979, foi casado com a atriz Therezinha Millet Austregésilo, com quem teve um filho, Rafael Soares (1964–2014), que tinha transtornos do espectro autista (TEA).[13] Entre 1980 a 1983, foi casado com atriz Sílvia Bandeira, doze anos mais nova. Em 1984, começou a namorar a atriz Cláudia Raia, romance que durou dois anos.[14] Namorou a atriz Mika Lins e, em 1987, casou-se com a designer gráfica Flávia Junqueira Pedras, de quem se separou, em 1998. O apresentador admitiu sofrer de Transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Em sua casa, os quadros precisam estar tombados levemente para a direita.[15] Era sobrinho de Togo Renan Soares, conhecido como "Kanela", ex-treinador da Seleção Brasileira de Basquetebol. Em 1 de outubro de 2012, levou ao ar um programa especial que reprisou uma entrevista com Lolita Rodrigues e Nair Bello em homenagem à apresentadora Hebe Camargo, com quem declarou ter vivido intensas alegrias.

O apresentador falava, com diferentes níveis de fluência, cinco idiomas: português, inglês, francês, italiano e espanhol, além de ter bons conhecimentos de alemão. Traduziu um álbum de histórias em quadrinhos de Barbarella, criação do francês Jean-Claude Forest.[16] Era católico, devoto de Santa Rita de Cássia.[17] Em 25 de julho de 2014, foi internado no Hospital Sírio-Libanês, para tratar de uma pneumonia, permanecendo no hospital por 22 dias.[18][19]

Em 31 de outubro de 2014, morreu seu único filho, Rafael Soares, no Hospital Samaritano, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Em 3 de novembro, dedicou o programa ao seu filho, em que fez um discurso contando um pouco da história dele.[20] Em 4 de agosto de 2016, foi eleito para a Academia Paulista de Letras, assumindo a cadeira 33, que pertenceu ao escritor Francisco Marins.[21]

Jô Soares faleceu em 5 de agosto de 2022, aos 84 anos, no Hospital Sírio-Libanês, na cidade de São Paulo, onde estava internado desde o dia 28 de julho para tratar uma pneumonia. A notícia de sua morte foi divulgada pela ex-esposa, Flavia Pedras, em uma publicação em sua página pessoal no Instagram, também confirmada pela assessoria de imprensa do apresentador.[22][23][24] O hospital não informou qual foi a causa da morte atendendo a um pedido do próprio ator à família.[25] No entanto, Anne Porlan, que era uma amiga pessoal de Jô, revelou que o mesmo faleceu de causas naturais.[26]

Sua morte teve grande comoção e repercussão no Brasil e no mundo. Várias pessoas famosas e autoridades lhe prestaram homenagens.[27] [28] As emissoras de televisão como a TV Globo, SBT, TV Cultura, Rede Bandeirantes e Viva alteraram suas respectivas grades de programação previstas para os dias 5 e 6 de agosto, reexibindo alguns dos trabalhos e entrevistas onde o humorista participou.[29][30]

Retrato sob a guarda do Arquivo Nacional (Brasil).